Pesquisar
Close this search box.

Gestão de carreira: Onde estou? Para onde vou? O que eu preciso para chegar lá?

Publicado em
challenge-7233340_1280

O mercado de trabalho assim como tudo no mundo também está em constante mudança. As exigências aumentaram e se transformaram. Se antes ter apenas uma graduação era suficiente, com o passar dos anos foi se exigindo pós-graduação, especialização, outro idioma e atualmente muito se fala em soft skills ou habilidades comportamentais.

As pessoas também mudaram, nossos pais e avós eram fiéis a seus empregadores, passavam anos na mesma empresa. Os millenials ingressaram no mercado de trabalho com a mentalidade de que deveriam trabalhar muito para atingir o sucesso. Porém, agora se preza a qualidade de vida, equilíbrio entre vida pessoal e trabalho, um ambiente saudável e plano de carreira. 

E como fazer a gestão da carreira? Como sabemos quando é a hora de nos movimentar, mudar de área, de empresa, de ramo de atuação, deixar de ser cliente para ser fornecedor? Preciso me especializar? Quais as qualificações necessárias? Como saber se estou preparado para uma nova posição? A idade é um fator impeditivo? Já passei da idade para fazer uma transição de carreira? Há idade mínima e máxima para determinados cargos?

Essas são dúvidas que muitos profissionais têm em início de carreira ou quando já tem anos de experiência.

No grupo de gestão de carreira de mentoria realizada pela AB2L debatemos essas questões e pudemos juntos trazer algumas dicas para ajudar a planejar a carreira em diferentes situações, seja em transição de carreira, em promoção, em continuidade.

Como criar um plano de carreira

  1. Defina seus objetivos

Na correria da rotina muitas vezes nos vemos seguindo o fluxo sem parar para refletir para onde queremos ir. Fazer esta pausa e analisar quais são seus objetivos ajuda a analisar onde você está e quais mudanças precisa fazer.

Leve em consideração não apenas seus anseios profissionais, mas também pessoais. Esses objetivos vão exigir alguma mudança de rotina, maior dedicação de tempo, viagens, mudança de localidade?

Defina os prazos para realizá-las, se curto, médio ou longo. Tenha uma visão crítica, identifique obstáculos e estratégias e não esqueça de avaliar o momento do mercado, as vezes não é o melhor momento para uma mudança radical, ou o momento é agora e você não pode deixar passar.

Revise as metas sempre que necessário, afinal as coisas podem mudar durante o curso do planejamento, novas oportunidades e propostas podem surgir.

  1. Identifique quais são as suas habilidades e pontos de melhoria

Uma das vilãs da atualidade é a síndrome do impostor, somos extremamente críticos conosco mesmos e não nos achamos preparados, capazes o suficiente, ou ainda surgem pensamentos como já ter passado da idade de fazer mudanças.

Mas temos que reconhecer sim nossas qualidades, elencar quais são seus pontos fortes vai te permitir identificar se o objetivo que você está buscando vai requerer que você faça mais ou menos mudanças, qualificações e especializações. Vai te possibilitar verificar se você tem até mesmo aptidão para aquela atividade ou carreira. Uma pessoa que tem dificuldades com exatas vai ter muitos desafios em uma área de finanças, por exemplo, mas pode ter habilidades de gestão que servirão para projetos.

O próximo passo é verificar quais são os pontos que você precisa melhorar ou buscar qualificação para conquistar seus objetivos.

  1. Mapeie quais as competências necessárias para atingir seus objetivos

Este ponto como se percebe é uma consequência do anterior. Ao identificar seus pontos de melhoria você vai relacioná-los com as exigências dos objetivos que você possui e então vai poder buscar as qualificações necessárias sejam elas técnicas ou não. Com isso você também saberá quanto tempo em média levará para alcançá-los.

Algumas das competências podem não ser cursos técnicos, graduações ou pós-graduações, mas habilidades comportamentais, ou as chamadas no termo corporativo “soft skills” como gestão de pessoas, de projetos, liderança, comunicação. Essas habilidades podem ser adquiridas através de cursos, mentorias, técnicas de treinamento, dentre outros métodos.

As empresas estão em busca de inovação, trazer tecnologias, melhorar processos. A necessidade pode não ser se especializar em algo, mas buscar inovações, atualizações, pensar fora da caixa, participar de fóruns, eventos, grupos para discutir temas que impactem o negócio.

  1. Busque mentoria

Ter um mentor pode te ajudar desde o início do planejamento a identificar para onde você quer ir, até mesmo o que precisa para chegar lá. Algumas vezes estamos perdidos sem saber para onde ir, outras temos uma ideia, mas conversando com uma pessoa mais experiente ela pode nos dar algumas informações sobre as situações que viveu e assim ajudar a saber se é isso mesmo que queremos.

Se você já tem seus objetivos definidos e quer apenas saber como alcançá-los buscar uma pessoa que esteja naquela posição que você deseja ou que tenha conhecimento (como um profissional de RH) pode contribuir com a identificação das suas habilidades, seus pontos de melhoria e quais competência você precisa adquirir.

Essa pessoa pode ser do seu ambiente de trabalho ou de fora, seja do seu grupo de amigos, colegas de profissão ou profissionais contratados para tal.

  1. Faça networking

Conhecer pessoas vai te ajudar a saber o que está acontecendo dentro das empresas, escritórios, startups, meios acadêmicos, como o mercado está no momento e o que está sendo demandado.

Caso haja uma oportunidade conhecer o seu trabalho e sua personalidade permitirá que uma contratação fique mais factível.

É importante fazer o networking online através de plataformas como LinkedIn, mas também pessoalmente, pois essa conexão pessoal ainda é fundamental.

Sabemos que o mercado de trabalho está cada vez mais concorrido e exigente e que fazer a gestão de carreira não é fácil. Ao pararmos para definir nosso plano surgem mais dúvidas do que respostas. Há barreiras a serem transpostas como idade, gênero, orientação sexual, cargos dentro de uma determinada profissão, que muitas vezes é limitada, mas não se limite. Suas experiências podem servir para outras funções, outras áreas, permita-se pensar fora da caixa.

Bárbara Teruel é Advogada de contratos e suporte para negócio da Mondelez Brasil. Formada pela UFMS, Mestre em Direito pela UNIMAR, especialista em Direito Tributário pelo IBET.

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
Imagem: Pixabay

Evolução da criatividade - da teoria para a prática

artigo obs

Ausência da parte Autora e do Preposto nas Audiências Judiciais Cíveis e Juizados Especiais. Quais as diferenças e quais as consequências?

Imagem: Pixabay

Advogados contra a Tecnologia: as máquinas irão substituir os advogados?

interface-3614766_1280

Desenvolvimento responsável da IA com a nova norma ISO/IEC 42001.

laptop-5673901_1280

DJe ou Painel de Intimações? Como acompanhar as intimações e não perder prazos!

Blockchain e Direito Desvendando os Desafios da Tokenização, por Isabela Santos.

 Blockchain e Direito: Desvendando os Desafios da Tokenização

laptop-2558400_1280

Empreender na mediação: inovação e oportunidades em comemoração a semana global do empreendedorismo  lei nº 14.135/2021

opportunity-7958383_1280

Você precisa de 5 palavras para tornar seu perfil no LinkedIn mais atrativo

EMPRESAS ALIADAS E MANTENEDORAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.