Entenda como a tecnologia jurídica vai transformar o negócio dos escritórios de advocacia

Publicado em
c65a9a424241-como_a_tecnologia_esta_mudando_o_modelo_de_negocio_dos_escritorios_de_advocacia

Para sair na frente, é preciso apostar na parceria com consultores e especialistas em TI e gerenciamento de projetos

Durante a minha vivência profissional, já lidei com dois principais tipos de transformações: as que modificam um pouco a rotina e aquelas que revolucionam a maneira de fazer as coisas. A tecnologia é capaz de ambas. Quando usada como ferramenta, melhora processos e economiza tempo. E quando aplicada de forma especializada, ela pode ser revolucionária. É o caso da tecnologia jurídica.

Já vi processos serem aprimorados através de automação e sistemas de TI, mas sabia que era possível fazer mais e revolucionar completamente a prática jurídica com o uso deMachine Learning, Inteligência Artificial, análises preditivas, data mining e outros processos que a computação permite.

Hoje, não são apenas entusiastas e startups que falam sobre o impacto da tecnologia na área jurídica. Instituições como o The Boston Consulting Group (BGC) e a Bucerius Law School engrossam o coro e apontam em relatório recente que o negócio dos escritórios de advocacia vai mudar completamente.

Rápido como um foguete

A maioria das empresas e setores jurídicos lidam com uma estrutura piramidal, com uma pitada de automação e alguns pontos de terceirização. A base da pirâmide inclui um grande número de profissionais iniciantes, que se sentem pressionados e buscam especialização.

Profissionais mais experientes, no entanto, costumam estar razoavelmente confortáveis nas suas funções e, infelizmente, ainda mantém um conhecimento superficial das potencialidades da tecnologia.

Esse modelo está mudando. A previsão do Boston Group e da Bucerial Law School é que o modelo de negócio no mercado jurídico passe da pirâmide para o foguete, transformando o business: além de advogados e especialistas em direito, escritórios de advocacia do futuro precisarão de equipes de TI e de profissionais que não necessariamente são bacharéis em Direito, como gerentes de projeto, assessores jurídicos, consultores, entre outros.

Ou seja, empregar profissionais que conhecem e compreendem a tecnologia e seus modos de funcionar será crucial para os escritórios. É hora dos profissionais da área superarem qualquer receio em relação à tecnologia e se esforçarem em compreender ao menos o básico – como sistemas automatizados operam, o que a programação permite fazer, quais as possibilidades novas trazidas por aprendizado de máquina, big data ou inteligência artificial.

O jeito de fazer negócios de hoje não será eficiente diante dos desafios de amanhã e das novas necessidades do mercado, já que a tecnologia jurídica será parte do cotidiano. Mais do que alguém que resolva pendências legais, os clientes buscarão por escritórios prontos para lidar com o mundo conectado, oferecendo aconselhamento jurídico, gestão de processos, consultoria tecnológica e uma equipe multidisciplinar.

O diferencial dos escritórios de advocacia do futuro será o portfólio de soluções tecnológicas desenvolvidas por eles, que vão poder ofertar produtos que atendem os clientes do início ao fim. Para isso, não basta automatizar tarefas repetitivas: será preciso adaptar o mindset da equipe, que precisará ter familiaridade com tecnologia para aliar o conhecimento jurídico com as potencialidades da computação para resolver questões complexas de forma criativa e eficiente.

Escritórios mais inovadores já se posicionam assim no mercado, com times de TI próprios, especializados em melhorar processos, personalizar soluções para os clientes e selecionar prestadores qualificados externos de tecnologia, mas ainda são iniciativas muito tímidas.

O futuro que eu vejo une tecnologia e direito para além da automação. E é assim que pensamos aqui na Justto: queremos estar prontos para a nova ordem global do business jurídico.

E você, como está se preparando para esse novo mundo?

Por: Michelle Morcos, fundadora e CEO da JUSTTO.
Fonte: www.migalhas.com.br

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
News-LEX

Inteligência artificial e Jurimetria: como a tecnologia influencia no Direito?

martelo

O fim do software jurídico no Brasil, por Vinícius Marques

Business people with startup rocket

Assessorando negócios com startups

Hands in a digital universe background

Metaverso será a próxima onda das ODRs? Uma disrupção sem fronteiras

dominoes-ge819e653e_1920

Decreto 11.129/22 e o programa de integridade nas empresas - o que muda?

Retinal biometrics technology with man’s eye digital remix

Quais são as habilidades do advogado do futuro?

Valentine's Day concept with tic tac toe on beige background

UNIÃO ESTÁVEL NO METAVERSO?

smart-attractive-asian-female-business-owner-weared-virtual-reality-glasses-enjoys-casual-metaverse-meeting-with-concentrate-at-cafe-restaurantasian-female-using-oculus-rift-headset-in-cafe

Como se darão as conexões no Metaverso (Em suas mais variadas searas)  

EMPRESAS ALIADAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.