Startup de inteligência artificial se torna a primeira da PB a ganhar chancela internacional da Intel

Publicado em
equipe-fabwork-1-

Empresa tem pouco mais de um ano de fundada e enfrentou uma avaliação rigorosa antes de ser aceita em grupo seleto que tem também gigantes como IBM, Cisco, Philips, Lenovo e Huawei.

Por Phelipe Caldas, G1 PB

Equipe da Fabwork trabalha há menos de um ano, mas já recebeu chancela da Intel — Foto: Carlos Eduardo / Fabwork

Uma startup paraibana acaba de ser incluída num seleto “ecossistema mundial” da Intel, a gigante de tecnologia dos Estados Unidos, que dá aos seus membros o selo internacional de empresa construtora de inteligência artificial. É essa a realidade da Fabwork, a primeira da Paraíba a alcançar tal feito e que se junta agora a megacorporações como IBM, Cisco, Philips, Lenovo e Huawei.

A empresa paraibana é relativamente pequena. Tem sede em João Pessoa e pouco mais de um ano de existência. Como fundadores, dois professores, pai e filho, que se orgulham da origem da startup e de onde ela chegou em tão pouco tempo.

Miguel Isoni e Miguel Isoni Filho, pois, fundaram a Fabwork em julho de 2018, iniciaram os diálogos com a Intel nos primeiros meses de 2019 e depois de aproximadamente nove meses de uma criteriosa e rígida análise técnica conseguiram admitir a empresa no tal ecossistema.

“Foi um processo árduo. Com várias entrevistas e encontros virtuais. Com várias idas a São Paulo para reuniões presenciais. Foi realizada uma criteriosa análise de nossa equipe e de nossos projetos. Precisei enviar para a sede da Intel nos Estados Unidos toda a nossa documentação. Além de realizar inúmeros testes nos servidores deles. A Intel avaliou o grau de desenvolvimento, de originalidade e de conhecimento técnico de nossa empresa antes de dar a sua chancela para o que realizamos aqui”, comemora Miguel Isoni Filho, CEO da Fabwork.

Como ganhos concretos por ser inserido neste grupo, Miguel Isoni Filho explica que a Intel incentiva a relação e o fechamento de negócios entre as empresas do seu ecossistema, de forma que a Fabwork, da capital paraibana, estará mais próxima de fechar negócios com a IBM e com outras gigantes do tipo, por exemplo.

Miguel Isoni Filho, CEO da Fabwork — Foto: Alessandro Potter / Fabwork

Miguel Isoni Filho, CEO da Fabwork — Foto: Alessandro Potter / Fabwork

“A expectativa, a tendência, é que a Intel acompanhe o nosso crescimento a partir de agora”, explicou Miguel Isoni Filho.

Relacionamento antigo

Apesar da Fabwork ser uma startup bem recente, a relação de Miguel Isoni Filho com a Intel é antiga. Ele já foi sócio de uma outra empresa na área de inteligência artificial, a paulista Axondata, ela própria uma empresa parceira da Intel.

Isso, sem dúvida, ajudou a estreitar o relacionamento da Fabwork com a empresa dos Estados Unidos. Mas Miguel destaca que só isso não seria suficiente.

De acordo com ele, a Fabwork e o seu braço de desenvolvimento de tecnologias exponenciais, a Fab Tech, desenvolvem hoje projetos de inteligência artificial para empresas como Gerdau e Sebrae, para fundos de investimento, para empresas na área de minério, para grandes varejistas e para grupos que trabalham com mobilidade urbana e transporte público.

Startup hoje possui dois produtos próprios na área de inteligência artificial, além de projetos voltados para a demanda do mercado — Foto: Alessandro Potter / Fabwork

Startup hoje possui dois produtos próprios na área de inteligência artificial, além de projetos voltados para a demanda do mercado — Foto: Alessandro Potter / Fabwork

O CEO explica ainda que a Fabwork possui duas “spin-off”, que são empresas menores originadas da principal. Uma delas atua na criação e no treinamento de assistentes virtuais de empresas. A outra trabalha com conversão de áudios para textos e está na fase final de testes.

Para Miguel Isoni Filho, foi justamente essa pluralidade de frentes de atuação que chamou a atenção da Intel.

“Nós somos hoje uma empresa que desenvolve tecnologia de inteligência artificial sob demanda para o mercado e que possui produtos próprios na área de inteligência artificial. Esse foi o nosso diferencial”, finalizou.

FONTE: //g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/2019/11/13/startup-de-inteligencia-artificial-se-torna-a-primeira-da-pb-a-ganhar-chancela-internacional-da-intel.ghtml

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
acordo-online-negociacao-aperto-maos

Plataformas de ODR agilizam conciliação online e facilitam acordos entre as partes

Daniel Marques, diretor executivo da AB2L fala para a Conjur
jus-gif-2

PNUD e Jusbrasil assinam parceria para pesquisas sociais no Brasil

O Jusbrasil assinou uma nova parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no intuito de ampliar as ações relacionadas ao cumprimento do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável de número 16
Man and wooden cubes on table. Management concept

Soft skills para advogados: descubra as 12 habilidades essenciais para crescer na advocacia

O que são soft skills, porque elas são importantes e quais são as principais para os advogados.
Captura de tela 2022-09-19 173216

Judicialização das relações de consumo: ruim para empresa e cliente

A judicialização tem custos sociais, financeiros e na credibilidade das empresas. A busca pelo consenso, principalmente através do bom atendimento, foi tema de painel no Conarec 2022
EMPRESAS ALIADAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.