Softbank compra 10% do Mercado Bitcoin e avalia exchange em US$ 2,1 bi

Publicado em
softbank compra
Imagem: Divulgação

A 2TM — a holding que controla o Mercado Bitcoin — acaba de levantar US$ 200 milhões com o Softbank numa rodada que avalia a bolsa de criptoativos brasileira em US$ 2,1 bi (post money). A rodada é o maior Series B da história da América Latina e o segundo investimentos do Softbank em cripto na região, depois da gestora Hashdex. Os investidores atuais da 2TM — GP Investimentos e a Parallax Ventures — não acompanharam a rodada e estão sendo diluídos.

A 2TM fez um ‘dual track’: estava se preparando para um IPO ao mesmo tempo em que conversava com fundos e investidores estratégicos. Gustavo Chamati, que fundou a 2TM com seu irmão Maurício, disse que além do capital, o Softbank traz “um acesso à informação e um conhecimento muito grande,” que vão ajudar nos planos da empresa. A 2TM vai usar os recursos tanto para consolidar sua dominância no Brasil quanto para começar a internacionalizar o negócio na América Latina. “Queríamos fazer isso há algum tempo, mas esse investimento vai permitir fazer as duas coisas juntas: construir o mercado aqui e ir para outros países,” diz o fundador. Segundo ele, a expansão deve começar pela Argentina, México, Chile e Colômbia — e pode ser feita tanto de forma orgânica quanto via M&A. No México, o principal player é a Bitso, que há um mês foi avaliado em US$ 2,2 bi numa rodada liderada pela Tiger Global e Coatue. Na Argentina, o líder de mercado é a Ripio, que já tem 1,3 milhão de clientes e comprou em janeiro a BitcoinTrade, entrando no Brasil.

Um dos focos da 2TM será fomentar o mercado institucional brasileiro, que ainda responde por uma fração do volume de negociações feitas na plataforma. Na Coinbase, por exemplo, os institucionais já movimentam quase o dobro dos investidores de varejo — US$ 215 bilhões frente a US$ 120 bi no primeiro trimestre. “Precisamos primeiro desenvolver times capazes de atender esse cliente, de educá-los sobre a nossa oferta de ativos,” disse o fundador. “Mas tem uma frente que também é muito relevante, que é a custódia. O ‘institucional’ não topa investir sem a segregação de risco de ter uma custódia separada.” Outro plano: acelerar os diversos outros negócios que a 2TM controla, incluindo o MeuBank, a carteira digital multiativo que a 2TM acaba de lançar; o MBDA Digital Assets, de tokenização de ativos como precatórios; e o Blockchain Academy, o braço de educação.

Gustavo disse que o Mercado Bitcoin — que foi fundado em 2013 e deu origem à 2TM — ainda responde por mais de 90% da receita da holding, mas que a ideia é pulverizar cada vez mais a receita. O Mercado Bitcoin tem 2,8 milhões de clientes cadastrados, dos quais cerca de 1 milhão são ativos. O volume transacionado — que ano passado foi de R$ 6,5 bilhões — já passou de R$ 25 bi nos primeiros cinco meses deste ano, mais do que tudo que havia sido movimentado na plataforma de 2013 até o final do ano passado. A receita do Mercado Bitcoin vem de um fee cobrado cada vez que um negócio é fechado na plataforma. Segundo o site da empresa, as taxas variam de 0,015% a 0,7%.

Dealmaker e JP Morgan assessoraram a 2TM, cujos advogados foram o FM/Derraik no Brasil e Wilson Sonsini nos EUA.

Morrison Foerster e Pinheiro Neto assessoraram o Softbank.

Texto original de Pedro Arbex, publicado pelo Brazil Journal

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
Captura de tela 2023-01-27 094937

Cinco tendências de tech e ESG apresentadas em Davos

Diversidade e inclusão foram alguns dos principais destaques do relatório sobre o cenário atual do mercado global de tecnologia, lançado durante o Fórum Econômico Mundial
Captura de tela 2023-01-27 094517

“Não há falta de dinheiro para startups”, diz cofundador da Liga Ventures

Guilherme Massa explica que os desafios têm relação com um tempo maior de decisão dos investidores baseado no momento econômico e na busca por retorno
Face recognition AR hologram screen  smart technology

O chat GPT: o que o novo oráculo de delfos tem a dizer aos advogados?

O grande diferencial da ferramenta, como toda ferramenta tecnológica inovadora, será no modo como é utilizada para extrair os benefícios da mesma.
3D Rendered Illustration of a Human Face Design.

IA x Homem: Advogado robô defenderá réu em julgamento real

Pela primeira vez na história uma inteligência artificial será usada em tribunal para defender um réu acusado de infringir leis de trânsito
EMPRESAS ALIADAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.