Pesquisar
Close this search box.

Projeto de Lei quer proibir prazo de validade para créditos de celulares pré-pagos no Brasil

Publicado em
Projeto de Lei quer proibir prazo de validade para créditos de celulares pré-pagos no Brasil

Se você tem um celular pré-pago e não gosta quando seus créditos expiram, saiba que, se depender de um novo Projeto de Lei, essa prática está com os dias contados. O PL 5466/20 pretende proibir operadoras de telefonia móvel de criar prazo de validade para o uso de créditos em planos pré.

O autor da proposta – o deputado federal Márcio Marinho (Republicanos/BA) – defende que não deveria existir uma data estabelecida para o consumidor utilizar o dinheiro inserido na linha.

Para o parlamentar, quando os créditos expiram sem a pessoa o usar por completo, aconteceria um proveito econômico arbitrário às operadoras. Isso porque elas receberiam o valor, contudo não entregaria o serviço em sua totalidade.

Caso o texto seja aprovado, consistiria em uma modificação na atual Lei Geral de Telecomunicações. No entanto, o Projeto de Lei ainda está em tramitação na Câmara dos Deputados no momento.

Esta não seria a primeira iniciativa do tipo. Na Bahia, a Lei 14.228/2020, em fevereiro do ano passado, foi aprovada da Assembleia Legislativa local para acabar com prazo de validade dos créditos dos usuários.

Na época, a Associação das Operadoras de Celulares (Acel) chegou a pedir a suspensão da norma, ao afirmar que ela violava os princípios de isonomia, por conferir aos usuários baianos um tratamento diferenciado na comparação com o restante do país.

Fonte: Tudo Celular

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
web-summit

Web Summit Rio: a força do empreendedorismo e da tecnologia

O Web Summit Rio nos mostrou que a ativação de grandes eventos como esse trouxe também benefícios intangíveis para nos estimular na capacidade de perceber novamente a partir do acesso àquilo que não conhecíamos e, com isso, o país só tem a ganhar
1_ticiano-36284834

Ticiano Gadêlha: Entre a lei e a inovação

A Lei Complementar nº 182, de 2021, conhecida como Marco Legal das Startups, é um exemplo de como o país busca fomentar o ecossistema de inovação, oferecendo um ambiente regulatório mais flexível e adaptado às peculiaridades dessas empresas
201021flavia11

B3 desenvolve plataforma para transações secundárias de startups

Infraestrutura será vendida em modelo white label para companhias de crowdfunding
tatiana coutinho

Ambientes Jurídicos mais Inclusivos: Uma Reflexão sobre Diversidade e Inclusão no Direito

Tatiana Coutinho, Associada à AB2L, recebe destaque no artigo "Ambientes Jurídicos mais Inclusivos: Uma Reflexão sobre Diversidade e Inclusão no Direito", do site Ela Jurista!
EMPRESAS ALIADAS E MANTENEDORAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.