Órgão regulador financeiro do Japão pode aprovar ETF de Bitcoin

Publicado em
Logo of Bitcoin is seen on an advertisement of an electronic shop in Tokyo
A logo of Bitcoin is seen on an advertisement of an electronic shop in Tokyo, Japan September 5, 2017. REUTERS/Kim Kyung-Hoon

A Agência de Serviços Financeiros do Japão (FSA, na sigla em inglês) está aparentemente aberta à aprovação de fundos negociados em bolsa (ETFs) baseados em criptoativos, conforme mostra o artigo publicado pela Coindesk.

Um relatório da Bloomberg nesta segunda-feira, 07 de janeiro, citando uma pessoa “familiarizada com o assunto”, disse que a FSA está atualmente verificando o interesse institucional em ETFs baseados em criptomoedas e podem, em última instância, dar-lhes prosseguimento.

O governo do Partido Liberal Democrata do governo do Japão apresentará um projeto de lei até março de 2019, que poderia incluir tal mudança através de emendas às regras financeiras existentes. O projeto, que também traria mais supervisão auto-reguladora da indústria e classificaria muitos títulos de ICOs como valores mobiliários, poderia entrar em lei até 2020, indicou o relatório.

No entanto, a Bloomberg acrescentou que a FSA agora abandonou os planos de incluir a aprovação para a negociação de derivativos de criptoativos nas bolsas financeiras devido a preocupações de que os produtos levariam principalmente à especulação.

O aumento da fiscalização do ecossistema de criptomoedas no Japão segue-se à uma grande invasão na exchange Coincheck em janeiro, que viu cerca de US$533 milhões em criptomoedas roubadas.

Os ETFs de criptoativos são vistos por muitos observadores do mercado como um meio de trazer capital institucional para o setor, embora nem todos estejam interessados na ideia.

Nos EUA, vários participantes planejam lançar tais produtos, embora a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, na sigla em inglês) ainda não tenha aprovado nenhum deles. Em agosto, a agência rejeitou nove pedidos de ETFs de Bitcoin “para evitar atos e práticas fraudulentas e manipuladoras”, e em dezembro adiou a decisão sobre um produto da VanEck / SolidX até fevereiro.

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
BGC

Streamers gamers apostam em um novo nicho: eventos proprietários

Brasil movimentará US$ 2,7 bi em negócios relacionados a games em 2022
carreira_profissoesdofuturo_24022021_Marko-Geber_GettyImages-3-768x512

No pain, no gain: tentativa e erro devem fazer parte da cultura das empresas da era digital

Atualmente as empresas procuram desencadear transformações digitais e se beneficiar de infraestruturas escaláveis e ágeis
acordo-online-negociacao-aperto-maos

Plataformas de ODR agilizam conciliação online e facilitam acordos entre as partes

Daniel Marques, diretor executivo da AB2L fala para a Conjur
jus-gif-2

PNUD e Jusbrasil assinam parceria para pesquisas sociais no Brasil

O Jusbrasil assinou uma nova parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no intuito de ampliar as ações relacionadas ao cumprimento do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável de número 16
EMPRESAS ALIADAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.