Microsoft se une aos rivais e veta uso de reconhecimento facial à polícia

Publicado em
Microsoft se une aos rivais e veta uso de reconhecimento facial à polícia

A Microsoft se uniu nesta quinta-feira (11) a outros gigantes tecnológicos da concorrência ao anunciar que proibirá a polícia de usar suas ferramentas de reconhecimento facial, devido à ausência de regulamentação governamental.

“Não venderemos tecnologia de reconhecimento facial aos departamentos de polícia dos Estados Unidos até que tenhamos uma lei nacional, baseada nos direitos humanos, que regerá esta tecnologia”, disse o presidente da Microsoft, Brad Smith, ao jornal The Washington Post.

Os comentários seguem decisões semelhantes das concorrentes Amazon e IBM, em meio à pressão exercida por ativistas diante das grandes empresas tecnológicas com o objetivo de restringir o desenvolvimento de ferramentas criadas por estas empresas, que poderiam ser utilizadas para discriminar as minorias.

“A conclusão que chegamos é proteger os direitos humanos das pessoas à medida que se implementa esta tecnologia”, afirmou Smith.

Em 2018, a Microsoft anunciou que implementaria uma série de princípios antes de lançar a tecnologia de reconhecimento facial, incluindo a “justiça”, a não discriminação e a vigilância legal.

Os movimentos das empresas de tecnologia ocorrem em meio aos protestos generalizados pela violência policial e a preocupação de que os sistemas de reconhecimento facial sejam falhos, especialmente ao analisar as características dos afroamericanos.

Os ativistas também afirmam que as ferramentas tecnológicas podem usar algoritmos que discriminam, intencionalmente ou não, contra os negros.

fonte: UOL

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
Elon Musk no Brasil: quanto custa e como usar a internet da Starlink

Elon Musk no Brasil: quanto custa e como usar a internet da Starlink

No Brasil, além da Amazônia, a cobertura do serviço envolve parte de Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro, além de algumas áreas de Minas Gerais
O que é Web 3.0 e como ela se relaciona com o mercado de criptoativos

O que é Web 3.0 e como ela se relaciona com o mercado de criptoativos

A internet está passando por uma nova reformulação, chamada de Web 3.0. Confira o guia do InfoMoney sobre o assunto
Como utilizar suas conexões para impulsionar o perfil no LinkedIn

Como utilizar suas conexões para impulsionar o perfil no LinkedIn

Texto original de Mariellen Romero,  publicado por táLIGADO Você sabia que a base de crescimento do LinkedIn, bem
Brasil figura entre os países mais inovadores do mundo para o setor jurídico

Brasil figura entre os países mais inovadores do mundo para o setor jurídico

O surgimento de novos modelos de contratos e petições criados através de técnicas de Visual Law e com foco na facilitação da comunicação e inclusão da população colocam o país na linha de frente da inovação jurídica mundial.
EMPRESAS ALIADAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.