Governo brasileiro desenvolve identidade digital baseada em blockchain

Publicado em
shutterstock_596722127
(Foto: Shutterstock)

O Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD) está desenvolvendo um sistema de identidade digital chamado BlockIoT, uma solução baseada nas tecnologias blockchain e Internet da Coisas (IoT), conforme anunciado no site da instituição na segunda-feira (01).

A instituição afirmou que o uso da IoTT para a IoT (Internet das Coisas) permite mais segurança, privacidade e confiabilidade aos processos de autenticação, bem como o controle de identidade e de rastreabilidade de objetos.

O projeto tem como base o conceito de IoTT, que é a ‘Internet das Coisas Confiáveis’ (IoTT, sigla em inglês para Internet of Trusted Things). No comunicado, o CPqD não revela o valor recebido pelo FUNTTEL para a execução do plano.

José Reynaldo Formigoni, gestor de soluções blockchain do CPqD, explicou:

“Um dos fatores básicos para aumentar a confiança no ecossistema IoT é a identificação digital segura, e isso vale para pessoas e coisas. A internet foi criada sem a camada de identificação, o que gera vulnerabilidades nos diferentes sistemas de identidade e acesso usados atualmente”.

Ele detalhou o uso da tecnologia por trás do Bitcoin: “A Blockchain viabiliza a criação dessa camada, por meio de um conceito totalmente disruptivo e seguro que é a identidade digital descentralizada, ou autossoberana”.

Projeto está na primeira fase

O BlockIoT começou a ser desenvolvido em dezembro do ano passado. Segundo o planejamento, esta primeira fase deve ser deve ser finalizada em 12 meses.

Nesta etapa, serão desenvolvidos componentes tecnológicos e um conjunto de aplicações voltadas para a identidade digital (ID) de pessoas e coisas.

Finalizada, o próximo estágio será, então, desenvolver outros componentes tecnológicos e aplicações de ID descentralizados, soluções para rastreabilidade e desenvolvimento de APIs e serviços de suporte.

De acordo com a nota, o projeto BlockIoT (junção dos termos blockchain e IoT) tem apoio do Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (FUNTTEL), que é gerenciado pela Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), órgão que pertence ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Sobre o CPqD

O CPqD foi fundado em 1976 e tem sede na cidade de Campinas, São Paulo. A instituição é um dos maiores centros de pesquisa da América Latina e atua na pesquisa, desenvolvimento e suporte de diversos setores — industrial, agrícola, telecomunicações, financeiro, energia elétrica, corporativo e administração pública.

Com foco na inovação em tecnologias da informação e comunicação, a instituição mantém um portfólio abrangente de soluções que são utilizadas nos mais diversos segmentos de mercado no Brasil e no exterior.

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
Captura de tela 2023-01-27 094937

Cinco tendências de tech e ESG apresentadas em Davos

Diversidade e inclusão foram alguns dos principais destaques do relatório sobre o cenário atual do mercado global de tecnologia, lançado durante o Fórum Econômico Mundial
Captura de tela 2023-01-27 094517

“Não há falta de dinheiro para startups”, diz cofundador da Liga Ventures

Guilherme Massa explica que os desafios têm relação com um tempo maior de decisão dos investidores baseado no momento econômico e na busca por retorno
Face recognition AR hologram screen  smart technology

O chat GPT: o que o novo oráculo de delfos tem a dizer aos advogados?

O grande diferencial da ferramenta, como toda ferramenta tecnológica inovadora, será no modo como é utilizada para extrair os benefícios da mesma.
3D Rendered Illustration of a Human Face Design.

IA x Homem: Advogado robô defenderá réu em julgamento real

Pela primeira vez na história uma inteligência artificial será usada em tribunal para defender um réu acusado de infringir leis de trânsito
EMPRESAS ALIADAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.