Como gigantes da tecnologia estão se unindo para combater deepfakes

Publicado em
Facebook1

Youtube, Twitter, Facebook e Microsoft anunciaram políticas mais rígidas e novos projetos para eliminar conteúdos manipulados das redes

À medida que as eleições presidenciais dos Estados Unidos se aproximam, grandes empresas de tecnologia se uniram com um objetivo: combater a manipulação de informações. Nesta segunda-feira (3), o Youtube publicou em seu blog como tem aumentado seus esforços para se tornar uma fonte confiável de notícias e informações, principalmente em um período tão relevante para o país.

A empresa deixou claro que removerá da plataforma conteúdos tecnicamente manipulados, com informações falsas e outras práticas enganosas. Além disso, usuários que se passarem por outras pessoas ou que usarem sistemas para aumentar artificialmente o número de visualizações e comentários também serão banidos.

Para tornar isso possível, o Youtube tem investido em pesquisa e desenvolvimento. “Em 2018, formamos um Intelligence Desk para detectar novas tendências envolvendo conteúdo inadequado e comportamentos problemáticos e para garantir que nossas equipes estejam preparadas para resolvê-los antes que se tornem um problema maior”, escreveu a empresa.

O Youtube ainda introduziu abas como Top News e Breaking News na plataforma para destacar notícias de grandes veículos. “Continuamos comprometidos em manter o equilíbrio de liberdade e responsabilidade antes, durante e após as eleições nos EUA em 2020. Temos ainda mais o que compartilhar sobre esse trabalho nos próximos meses”, escreveu a empresa.

Combate à deepfake

Além do Youtube, outras empresas se posicionaram sobre como estão se preparando para identificar e eliminar conteúdos manipulados — ou deepfakes. O termo se refere ao uso de inteligência artificial para manipular imagens e vídeos inserindo elementos falsos.

Na terça-feira (4), o Twitter anunciou que as publicações na plataforma passarão por avaliações mais severas. Conteúdos editados de maneira suspeita ou que possam afetar a segurança pública e causar outros danos serão banidos. “Isso será um desafio e cometeremos erros ao longo do caminho – agradecemos a paciência. No entanto, estamos comprometidos em fazer isso da maneira certa” afirmou a empresa em um comunicado.

Já o Facebook anunciou, em janeiro deste ano, uma política mais rigorosa para controlar fotos e vídeos que possam engajar usuários. A plataforma terá uma equipe dedicada a identificar vídeos falsos e alertar os usuários no caso de conteúdos menos confiáveis. A empresa ainda lançou, em parceria com a Microsoft, um desafio global para combater deepfakes.

Os riscos da tecnologia

A deepfake ficou conhecida, principalmente, depois de um vídeo com um discurso falso do ex-presidente Barack Obama circular nas redes sociais. O conteúdo foi criado pelo site BuzzFeed para alertar a população sobre os riscos da tecnologia. Apesar de exigir softwares apropriados e conhecimentos em edição, o uso da técnica tem avançado e se popularizado.

Em 2019, diversos casos de deepfake ganharam destaque. Em um deles, a agência de notícias Associated Press identificou um perfil falso no LinkedIn criado com técnicas de inteligência artificial. Possíveis espiões desenvolveram um rosto hiper-realista de uma pessoa que não existe. O falso usuário tinha conexões com personalidades políticas de Washington.

No mesmo ano, o ZAO, aplicativo chinês que usa inteligência artificial para colocar o rosto dos usuários em cenas famosas de filmes vazou dados e imagens de milhões de usuários. O caso gerou repercussão depois de ser descoberta uma cláusula que dava aos desenvolvedores o direito de usar todas as fotos carregadas na plataforma por tempo indeterminado.

FONTE: //www.startse.com/noticia/nova-economia/como-gigantes-da-tecnologia-estao-se-unindo-para-combater-deepfakes

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
_113967234_hi031081850

Em resposta ao ChatGPT, Google planeja lançar 20 projetos de inteligência artificial em 2023

A empresa queria ir devagar, mas a ameaça externa da OpenAI acelerou o planos
Captura de tela 2023-01-27 094937

Cinco tendências de tech e ESG apresentadas em Davos

Diversidade e inclusão foram alguns dos principais destaques do relatório sobre o cenário atual do mercado global de tecnologia, lançado durante o Fórum Econômico Mundial
Captura de tela 2023-01-27 094517

“Não há falta de dinheiro para startups”, diz cofundador da Liga Ventures

Guilherme Massa explica que os desafios têm relação com um tempo maior de decisão dos investidores baseado no momento econômico e na busca por retorno
Face recognition AR hologram screen  smart technology

O chat GPT: o que o novo oráculo de delfos tem a dizer aos advogados?

O grande diferencial da ferramenta, como toda ferramenta tecnológica inovadora, será no modo como é utilizada para extrair os benefícios da mesma.
EMPRESAS ALIADAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.