Pesquisar
Close this search box.

A Proteção de Dados Pessoais e o Dia das Crianças

Publicado em
A Proteção de Dados Pessoais e o Dia das Crianças

Publicação original Tozzini e Freire Advogados

Em razão do Dia das Crianças, o mês de outubro é marcado por diversas campanhas publicitárias voltadas ao público infantojuvenil – são consideradas crianças aquelas com até 12 anos incompletos e adolescentes são aqueles entre 12 e 18 anos, segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), são necessários alguns cuidados especiais para o tratamento de dados pessoais de crianças e adolescentes.

Aproveitando a data, preparamos pontos principais para se ter em mente quando o assunto envolve dados de menores de idade.

1. Como tratar os dados de menores?

Crianças e adolescentes são considerados um grupo vulnerável pela lei brasileira e, por isso, a LGPD determina que qualquer tratamento de dados desses titulares deve ocorrer sempre em seu melhor interesse.

Segundo Enunciado publicado pela Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), o tratamento de dados de crianças não se restringe apenas ao consentimento dos responsáveis legais, sendo possível realizá-lo com fundamento nas demais bases legais, desde que observado e prevalecente o seu melhor interesse.

2. Como o titular deve ser informado sobre o tratamento?

Uma das principais regras de proteção de dados é o dever de informar os titulares sobre o tratamento de seus dados pessoais, e com crianças e adolescentes, essa obrigação não seria diferente. Além de informar os pais ou responsável legal da criança, a LGPD determina que o próprio menor possa ter acesso a essas informações.

Para tanto, a lei estabelece que as informações deverão ser expostas de uma maneira simples, clara e acessível, e levando em conta as características físico-motoras, perceptivas, sensoriais, intelectuais e mentais do usuário. Inclusive, quando for adequado, o ideal é utilizar recursos audiovisuais para garantir essa exposição acessível.

3. Desenvolvimento apropriado importa

Quando se fala em jogos, a LGPD proíbe que o controlador condicione a participação de crianças em jogos, aplicações de internet ou outras atividades ao fornecimento de seus dados pessoais, além daqueles estritamente necessários para a sua execução.

Dada a importância do tema, a Autoridade de Proteção de Dados do Reino Unido (Information Commissioner’s Office, ICO) destaca, em seu Código de Design Apropriado para Menores, algumas medidas práticas que podem ser adotadas para que o melhor interesse dos menores seja respeitado, por exemplo:

(i) todas as opções de alta privacidade/proteção devem ser ativadas por padrão;

(ii) opções de geolocalização e definição de perfil devem ser desativadas por padrão;

(iii) deve haver informação em linguagem clara e acessível a menores sobre o controle parental aplicado; e

(iv) ferramentas online simples e facilitadas para exercício de direitos de menores de idade devem ser adotadas – embora não existam requisitos legais desse tipo no Brasil, essas medidas fomentam a conformidade à LGPD e são recomendáveis.

4. No foco da ANPD

Com o objetivo de reforçar a proteção desse grupo de titulares de dados, a ANPD considera o tratamento de dados de crianças e adolescentes como um dos fatores que enquadram um tratamento como de alto risco e uma infração como grave, conforme abaixo:

  • Além de outras hipóteses, tratamento de alto risco é aquele que utiliza dados pessoais de crianças e adolescentes e que, ao mesmo tempo, seja realizado em larga escala ou seja capaz de afetar significativamente interesses e direitos fundamentais dos titulares, conforme Regulamento de Aplicação da LGPD para Agentes de Tratamento de Pequeno Porte (Resolução CD/ANPD nº 02/22); e

  • Além de outras hipóteses, infração grave é aquela que envolve dados pessoais de crianças e de adolescentes e que pode afetar significativamente interesses e direitos fundamentais dos titulares de dados pessoais, caracterizada nas situações em que a atividade de tratamento puder impedir ou limitar, de maneira significativa, o exercício de direitos ou a utilização de um serviço, assim como ocasionar danos materiais ou morais aos titulares, conforme Regulamento de Dosimetria e Aplicação de Sanções Administrativas (Resolução CD/ANPD nº 04/2023).

O time de Cybersecurity & Data Privacy de TozziniFreire Advogados está à disposição para fornecer mais informações sobre o presente assunto, inclusive recomendar formas para mitigar riscos envolvendo o tratamento de dados pessoais de menores.

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
web-summit

Web Summit Rio: a força do empreendedorismo e da tecnologia

O Web Summit Rio nos mostrou que a ativação de grandes eventos como esse trouxe também benefícios intangíveis para nos estimular na capacidade de perceber novamente a partir do acesso àquilo que não conhecíamos e, com isso, o país só tem a ganhar
1_ticiano-36284834

Ticiano Gadêlha: Entre a lei e a inovação

A Lei Complementar nº 182, de 2021, conhecida como Marco Legal das Startups, é um exemplo de como o país busca fomentar o ecossistema de inovação, oferecendo um ambiente regulatório mais flexível e adaptado às peculiaridades dessas empresas
201021flavia11

B3 desenvolve plataforma para transações secundárias de startups

Infraestrutura será vendida em modelo white label para companhias de crowdfunding
tatiana coutinho

Ambientes Jurídicos mais Inclusivos: Uma Reflexão sobre Diversidade e Inclusão no Direito

Tatiana Coutinho, Associada à AB2L, recebe destaque no artigo "Ambientes Jurídicos mais Inclusivos: Uma Reflexão sobre Diversidade e Inclusão no Direito", do site Ela Jurista!
EMPRESAS ALIADAS E MANTENEDORAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.