Contratos eletrônicos não precisam mais de testemunha, decide STJ

Publicado em
assinatura-digital-2_750x469_5b0e8c17a544b

De acordo com o relator do caso, o ministro Paulo de Tarso Sanseverino, os contratos eletrônicos se diferenciam apenas dos demais em seu formato.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) pavimentou nesta semana um recurso da Fundação dos Economiários Federais (Funcef) em que reconhece que um contrato mútuo eletrônico celebrado sem a assinatura de testemunhas pode ser executado em caso de inadimplência.

Assim sendo, os contratos eletrônicos não necessitariam mais de assinatura de testemunhas. De acordo com o relator do caso, o ministro Paulo de Tarso Sanseverino, os contratos eletrônicos se diferenciam apenas dos demais em seu formato, possuindo requisitos de segurança e autenticidade.

“A assinatura digital de contrato eletrônico tem a vocação de certificar, através de terceiro desinteressado (autoridade certificadora), que determinado usuário de certa assinatura a utilizara e, assim, está efetivamente a firmar o documento eletrônico e a garantir serem os mesmos os dados do documento assinado que estão a ser sigilosamente enviados.”

Em um caso que foi analisado pelo STJ, um financiamento foi firmado de forma eletrônica através do site da instituição financeira, e sem a presença de testemunhas. Porém, ocorreu uma inadimplência por parte de quem precisou do empréstimo. Deste modo, a Funcef precisou tomar medidas judiciais.

O caso acabou sendo rejeitado pela primeira instancia justamente pelo documento não contar com testemunhas, já que se tratava de um documento eletrônico. A decisão, porém, acabou sendo ratificada na segunda instancia. O STJ, por sua vez, resolveu mudar o entendimento do caso dizendo que a exigência de testemunhas poderia ser inviável no ambiente virtual.

“A assinatura digital do contrato eletrônico, funcionalidade que, não se deslembre, é amplamente adotada em sede de processo eletrônico, faz evidenciada a autenticidade do signo pessoal daquele que a apôs e, inclusive, a confiabilidade de que o instrumento eletrônico assinado contém os dados existentes no momento da assinatura.”

 

Por Rafaela Pozzebom

Fonte: https://www.oficinadanet.com.br/tecnologia/22869-contratos-eletronicos-nao-precisam-mais-de-testemunha-decide-stj

 

 

 

 

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
_113967234_hi031081850

Em resposta ao ChatGPT, Google planeja lançar 20 projetos de inteligência artificial em 2023

A empresa queria ir devagar, mas a ameaça externa da OpenAI acelerou o planos
Captura de tela 2023-01-27 094937

Cinco tendências de tech e ESG apresentadas em Davos

Diversidade e inclusão foram alguns dos principais destaques do relatório sobre o cenário atual do mercado global de tecnologia, lançado durante o Fórum Econômico Mundial
Captura de tela 2023-01-27 094517

“Não há falta de dinheiro para startups”, diz cofundador da Liga Ventures

Guilherme Massa explica que os desafios têm relação com um tempo maior de decisão dos investidores baseado no momento econômico e na busca por retorno
Face recognition AR hologram screen  smart technology

O chat GPT: o que o novo oráculo de delfos tem a dizer aos advogados?

O grande diferencial da ferramenta, como toda ferramenta tecnológica inovadora, será no modo como é utilizada para extrair os benefícios da mesma.
EMPRESAS ALIADAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.