Contratos eletrônicos não precisam mais de testemunha, decide STJ

Publicado em
assinatura-digital-2_750x469_5b0e8c17a544b

De acordo com o relator do caso, o ministro Paulo de Tarso Sanseverino, os contratos eletrônicos se diferenciam apenas dos demais em seu formato.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) pavimentou nesta semana um recurso da Fundação dos Economiários Federais (Funcef) em que reconhece que um contrato mútuo eletrônico celebrado sem a assinatura de testemunhas pode ser executado em caso de inadimplência.

Assim sendo, os contratos eletrônicos não necessitariam mais de assinatura de testemunhas. De acordo com o relator do caso, o ministro Paulo de Tarso Sanseverino, os contratos eletrônicos se diferenciam apenas dos demais em seu formato, possuindo requisitos de segurança e autenticidade.

“A assinatura digital de contrato eletrônico tem a vocação de certificar, através de terceiro desinteressado (autoridade certificadora), que determinado usuário de certa assinatura a utilizara e, assim, está efetivamente a firmar o documento eletrônico e a garantir serem os mesmos os dados do documento assinado que estão a ser sigilosamente enviados.”

Em um caso que foi analisado pelo STJ, um financiamento foi firmado de forma eletrônica através do site da instituição financeira, e sem a presença de testemunhas. Porém, ocorreu uma inadimplência por parte de quem precisou do empréstimo. Deste modo, a Funcef precisou tomar medidas judiciais.

O caso acabou sendo rejeitado pela primeira instancia justamente pelo documento não contar com testemunhas, já que se tratava de um documento eletrônico. A decisão, porém, acabou sendo ratificada na segunda instancia. O STJ, por sua vez, resolveu mudar o entendimento do caso dizendo que a exigência de testemunhas poderia ser inviável no ambiente virtual.

“A assinatura digital do contrato eletrônico, funcionalidade que, não se deslembre, é amplamente adotada em sede de processo eletrônico, faz evidenciada a autenticidade do signo pessoal daquele que a apôs e, inclusive, a confiabilidade de que o instrumento eletrônico assinado contém os dados existentes no momento da assinatura.”

 

Por Rafaela Pozzebom

Fonte: https://www.oficinadanet.com.br/tecnologia/22869-contratos-eletronicos-nao-precisam-mais-de-testemunha-decide-stj

 

 

 

 

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
BGC

Streamers gamers apostam em um novo nicho: eventos proprietários

Brasil movimentará US$ 2,7 bi em negócios relacionados a games em 2022
carreira_profissoesdofuturo_24022021_Marko-Geber_GettyImages-3-768x512

No pain, no gain: tentativa e erro devem fazer parte da cultura das empresas da era digital

Atualmente as empresas procuram desencadear transformações digitais e se beneficiar de infraestruturas escaláveis e ágeis
acordo-online-negociacao-aperto-maos

Plataformas de ODR agilizam conciliação online e facilitam acordos entre as partes

Daniel Marques, diretor executivo da AB2L fala para a Conjur
jus-gif-2

PNUD e Jusbrasil assinam parceria para pesquisas sociais no Brasil

O Jusbrasil assinou uma nova parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no intuito de ampliar as ações relacionadas ao cumprimento do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável de número 16
EMPRESAS ALIADAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.