Leilão do 5G: confira as empresas vencedoras da licitação

Publicado em
05141755183236

Depois de vários atrasos, o Leilão do 5G foi realizado em dois dias e terminou nesta sexta-feira (05). De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o certame conseguiu um valor recorde de R$ 46,7 bilhões, que será em grande parte voltado para investimentos.

Apesar de ter sido finalizado, os brasileiros devem começar a receber a tecnologia — que aumenta a velocidade da internet e diminui a latência — somente a partir de 2022. As capitais deverão ter acesso à rede até julho de 2022, já cidades com mais de 500 mil habitantes devem receber o sinal até 2025, de acordo com as regras da Anatel.

A licitação encerrada vendeu a transmissão de 5G em quatro frequências (700 MHz, 2,3 GHz, 3,5 GHz e 26 GHz), que foram separadas em vários lotes. Os pacotes foram separados na cobertura regional e nacional, já que algumas companhias oferecerão a rede para municípios específicos.

Além das operadoras tradicionais que já atuam nacionalmente (Tim, Vivo e Claro), o leilão confirmou a presença de seis empresas que vão atuar com a nova tecnologia no país: Cloud2U, Winity, Brisanet, Consórcio 5G Sul, Neko Serviços e Flylink.

Confira, abaixo, as frequências, lotes (letra acompanhada de um número), abrangências, companhias vencedoras e o ágio de cada aquisição. Os lotes que não aparecem na lista não foram arrematados:

700 MHz (faixa de 4G principalmente para rodovias)

A1 (nacional): Winity II (ágio de 805%).

2,3 GHz (levar 4G para locais que não possuem o serviço)

  • E1 (Norte): Claro (ágio de 101,78);
  • E3 (São Paulo): Claro (ágio de 755,1%);
  • E4 (Nordeste): Brisanet (ágio de 0%);
  • E5 (Centro-Oeste): Claro (ágio de 381,15%);
  • E6 (Sul): Claro (ágio de 259,65%);
  • E7 (RJ, ES e MG): Vivo (ágio de 124,75%);
  • E8 (MG, MS, GO e SP): Claro (ágio de 406,19%);
  • F1 (Norte): Vivo (ágio de 1,59%);
  • F3 (São Paulo): Vivo (ágio de 229,21%);
  • F5 (Centro-Oeste): Vivo (ágio de 20,28%);
  • F6 (Sul): TIM (ágio de 102,3%);
  • F7 (RJ, ES e MG): TIM (ágio de 616,69%);
  • F8 (MG, GO, MT e SP): Algar (ágio de 1.027,08%).

3,5 GHz (principal faixa do 5G utilizada no mundo)

  • B1 (nacional): Claro (ágio de 5,18%);
  • B2 (nacional: Vivo (ágio de 30,69%);
  • B3 (nacional): TIM (ágio de 9,22%);
  • C2 (Norte e São Paulo): Sercomtel (ágio de 719,69);
  • C4 (Nordeste): Brisanet (ágio de 13.741,71%);
  • C5 (Centro-Oeste): Brisanet (ágia de 4.054%);
  • C6 (Sul): Consórcio 5G Sul (ágio de 1.454,74%);
  • C7 (RJ, ES e MG): Cloud2U (ágio de 6.266%);
  • C8 (MG, MS, GO, SP): Algar (ágio de 358,5%);
  • D33 (nacional): Claro (ágio de 0%);
  • D34 (nacional): TIM (ágio de 0%);
  • D35 (nacional): Vivo (ágio de 0%).

26 GHz (principalmente conectividade nas escolas)

  • G1 (nacional): Claro (ágio de 0%);
  • G2 (nacional): Claro (ágio de 0%);
  • G3 (nacional): Vivo (ágio de 0%);
  • G4 (nacional): Vivo (ágio de 0%);
  • G5 (nacional): Vivo (ágio de 0%);
  • H19 (Sul): TIM (ágio 6,1%);
  • H25 (RJ, ES e MG): Tim (ágio de 8,55%);
  • H31 (SP): TIM (ágio de 5,97%);
  • H37 (MG, MS, GO e SP): Algar (ágio de 14,55%);
  • H38 (MG, MS, GO e SP): Algar (ágio de 14%);
  • H39 (MG, MS, GO e SP): Algar (ágio de 27%);
  • H40 (MG, MS, GO e SP): Algar (ágio de 27%);
  • H41 (MG, MS, GO e SP): Algar (ágio de 71,4%);
  • H42 (MG, MS, GO e SP): Flylink (ágio de 10,2%);
  • I6 (nacional): TIM (ágio de 2,2%);
  • J20 (Sul): TIM (ágio de 6,12%);
  • J26 (RJ, ES e MG): TIM (ágio de 18,42%);
  • J32 (São Paulo): Neko Seviços (ágio de 49,99%);
  • J33 (SP): TIM (ágio de 5,97).

Texto original de Carlos Palmeira, publicado pela tecnomundo

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
_113967234_hi031081850

Em resposta ao ChatGPT, Google planeja lançar 20 projetos de inteligência artificial em 2023

A empresa queria ir devagar, mas a ameaça externa da OpenAI acelerou o planos
Captura de tela 2023-01-27 094937

Cinco tendências de tech e ESG apresentadas em Davos

Diversidade e inclusão foram alguns dos principais destaques do relatório sobre o cenário atual do mercado global de tecnologia, lançado durante o Fórum Econômico Mundial
Captura de tela 2023-01-27 094517

“Não há falta de dinheiro para startups”, diz cofundador da Liga Ventures

Guilherme Massa explica que os desafios têm relação com um tempo maior de decisão dos investidores baseado no momento econômico e na busca por retorno
Face recognition AR hologram screen  smart technology

O chat GPT: o que o novo oráculo de delfos tem a dizer aos advogados?

O grande diferencial da ferramenta, como toda ferramenta tecnológica inovadora, será no modo como é utilizada para extrair os benefícios da mesma.
EMPRESAS ALIADAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.