Vasco e Mercado Bitcoin fecham parceria de R$ 10 milhões para transformar jogadores em criptomoedas

O Mercado Bitcoin e o clube carioca Vasco da Gama fecharam uma parceria que vai tokenizar os direitos do mecanismo de solidariedade da Fifa, que remunera os clubes formadores de atletas. A parceria irá contar com 12 atletas, oriundos de sua categoria de base. No total serão 500.000 mil tokens que poderão alcançar valor superior a R$ 50 milhões, disse a corretora em comunicado à imprensa.

À frente do projeto está o braço da Mercado Bitcoin, MB Digital Assets (MBDA), que ficará responsável pela emissão dos tokens — cada um deles valerá 1/500.000 dos valores a serem recebidos do jogador que passar por transferência onerosa (os contratos de um clube para outro).

Atualmente, os atletas cujos direitos serão tokenizados jogam em clubes do Brasil e do mundo. (confira a lista no final)

O mecanismo de solidariedade da Fifa remunera um clube responsável pelo treinamento de um atleta na base em até 5% em futuras transações de vendas ou empréstimo. E é nisso que a parceria está apostando.

R$ 10 milhões para começar

A parceria prevê a listagem dos tokens na corretora e em contrapartida a estampa da Mercado Bitcoin na camisa do Vasco por até 8 jogos. Além disso, pelo acordo, o Vasco vai receber um adicional de 5% dos tokens referente a prestação dos serviços de operacionalização.

A empresa também informou que já garantiu a pré-compra de 20% dos tokens, que serão criados pelo valor de R$ 10 milhões. Desta forma, o Vasco ficará com os demais 75%, cuja participação mínima a todo tempo deve ser de 25%, diz o comunicado.

Segundo a corretora, os R$ 10 milhões serão creditados ao clube de São Januário antes mesmo da abertura da venda ao investidor. Os trâmites da negociação serão fiscalizados pela assessoria financeira da KPMG.

Reinaldo Rabelo, CEO do Mercado Bitcoin, acredita que a parceria vai formar uma nova fonte de receita para os clubes.

“Esse é um token que deve mudar a maneira como o futebol trata o mecanismo de solidariedade. O Vasco é o primeiro clube do mundo a contar com esse token, mas queremos que outros clubes possam ter acesso a ele”, comentou o executivo.

Venda de tokens

Para chegar ao valor da operação, o MBDA e o Vasco da Gama utilizaram o valor de mercado atual dos jogadores relacionados estimado no site Transfermarket. A plataforma com foco no mercado de futebol apresenta potenciais valores de mercado de jogadores, diz a nota.

Além disso, acrescentou a corretora, entraram na conta o potencial de valorização ou desvalorização estimado pelo avançar da idade e possíveis transações de compra e venda destes atletas.

A estimativa é de que nos próximos anos o Vasco tenha direito a mais de R$ 50 milhões, considerando a cotação atual do Euro, referentes aos percentuais de mecanismo de solidariedade que o time possui destes jogadores.

Segundo o presidente do Vasco, Alexandre Campello, há pelo menos dois anos o clube vem buscando possibilidades de utilização de criptoativos para gerar novas receitas e/ou recursos financeiros.

“Esse movimento faz parte das ações do planejamento estratégico implementado pela atual gestão”, disse Campello, ressaltando a grandeza do clube carioca:

“Nós somos um Clube tradicionalmente formador de atletas. Grandes craques brasileiros surgiram em São Januário”.

Lançamento dos tokens

Os tokens de direitos de mecanismo de solidariedade estão previstos para serem lançados ao longo de dezembro e qualquer pessoa poderá adquiri-los na plataforma da Mercado Bitcoin.

Em teoria, se um jogador se valorizar no mercado, o valor a receber através do mecanismo de solidariedade da Fifa é maior, o que poderá influenciar no preço futuro da criptomoeda referente ao jogador. Como o Vasco ficará com 75% dos tokens, ele e os investidores ganham com a valorização de um dos jogadores listados.

“Tanto o Vasco como os demais investidores do token receberão sua parte dos mecanismos de solidariedade quando e se tais transações acontecerem”, diz a nota. 

Segundo o comunicado, a parceria já obteve pareceres jurídicos de advogados especialistas em assuntos relacionados ao futebol, moedas digitais e regulamentação de valores mobiliários, bem como consulta formal à CVM. À autarquia foi informado de que o token “não se caracteriza como valor mobiliário”. 

Confira os atletas cujos direitos serão tokenizados.

  • Josef de Souza Dias — Besiktas, Turquia
  • Douglas Luiz Soares de Paul — Manchester City, Inglaterra
  • Philippe Coutinho — Barcelona, Espanha
  • Alex Teixeira Santos — Jiangsu Suning, China
  • Paulo Henrique S. Filho (Paulinho) — Bayer Leverkusen, Alemanha
  • Allan Marques Loureiro — Everton, Inglaterra
  • Evander da Silva Ferreira — Midtjylland, Noruega
  • Luan Garcia Teixeira — Palmeiras, Brasil
  • Mateus da Silva Vital Assumpção — Corinthians, Brasil
  • Alan Kardec de Souza Pereira Jr. — Chongqing Lifan FC, China
  • Marrony da Silva Liberato Silveira — Atlético Mineiro, Brasil
  • Nathan Santos de Araújo — Boavista, Portugal

Fonte: Portal do Bitcoin

Comentários

Comentários