Se você não quer substituído por um robô, não faça o trabalho de um robô

Tenho certeza que você já ouviu falar diversas vezes que um robô irá substituir as pessoas nos trabalhos. Esse é um conceito que vem crescendo, mas será que na advocacia 4.0 isso também é verdade?

Felizmente existem caminhos bem interessantes para quem não quer sofrer com isso e deseja contar com a tecnologia na advocacia como aliada – e não como uma concorrente em potencial. Quer saber como? Confira este artigo e aprenda quais são as características necessárias para o sucesso de um advogado que pensa no futuro.

Os robôs vão mesmo te substituir?

Não necessariamente. A grande parte das atividades executadas por robôs são aquelas que não exigem características humanas ou que podem ser simuladas até certo ponto.

Um assistente virtual pode fazer contas, cumprir tarefas protocolares e até mesmo um atendimento para resolver pequenos problemas, mas até mesmo a alta tecnologia ainda não consegue emular algumas das principais características que nos tornam humanos.

O “segredo” para não ser trocado por um robô é não agir como um. Em outras palavras, é necessário que o profissional do direito 4.0 se destaque ao cultivar as habilidades que tornam uma pessoa diferente de uma máquina previamente programada para fazer algo.

São justamente elas que ainda são os pontos fracos da tecnologia na advocacia e podem ser encontradas em você, uma pessoa real. Pontos como a capacidade de se emocionar, desenvolver empatia pelo próximo e fazer julgamentos éticos é que o tornam diferentes de um computador e necessário para a sociedade.

Características que todo profissional deve ter na advocacia 4.0

Há muitos anos era impossível pensar em um advogado que não dominasse conceitos de informática, um idioma estrangeiro e até mesmo algumas noções de gestão de negócios. Pois o que era diferencial se tornou básico e deixou de ser destaque, pois muitas dessas ações já podem ser feitas por robôs.

Para driblar isso, é preciso trabalhar as suas características humanas ainda mais. Entre as principais, podemos destacar as seguintes:

  • CONEXÃO INTERPESSOAL → É preciso estar aberto para se conectar com o novo, aprender e ouvir mais os outros e ampliar as possibilidades que surgem das trocas entre os indivíduos.
  • CONEXÃO COM A TECNOLOGIA → Experimente novas tecnologias, mantenha a mente aberta para as novidades e busque se desenvolver ainda mais com elas
  • CRIATIVIDADE → A máquina precisa de Machine Learning e que ela seja programada, você não. Saia da caixa, imagine mais e busque por soluções que fujam do óbvio para mostrar seu valor.
  • PENSAMENTO CRÍTICO → Questionar e pensar sobre as coisas é algo que traz novas ideias e é perfeito para encontrar oportunidades e farejar possíveis ameaças.
  • RESILIÊNCIA → A capacidade de não desistir é fundamental para transpor barreiras em situações complexas e que exigem uma maior capacidade analítica.

Mesmo com tanta tecnologia na advocacia e em todo o mundo, é o aspecto humano que se torna mais importante a cada dia. Essa capacidade é importante em várias áreas, mas é especialmente no direito que essas habilidades podem fazer a diferença.

E para aumentar ainda mais a interação com os outros, confira 8 vantagens de ser associado AB2L e como a sua carreira irá mudar depois disso.

Comentários

Comentários