Profissional de 40, o que o mercado espera de você

Imagem: Pixabay

Você que nasceu antes de 1980, essa é pra ti. Pega a visão.

Escolheu um caminho profissional. Se formou com muito custo e hoje, talvez nem use mais o aprendizado que teve na faculdade. Aliás, da forma que o mundo está girando rápido, nenhum conhecimento se torna perpétuo, porque tudo muda na velocidade da luz.

Pois bem, depois da faculdade o que você fez? Trabalhou, trabalhou, e trabalhou. Aprendeu na prática aquilo que na teoria parece bem mais bonito. Quando saímos da faculdade ninguém conta que no dia a dia não vai dar pra colocar em prática tudo o que aprendemos porque nem todas empresas estão dispostas a fazer do jeito certo.

A gente também aprendeu que o mundo não é cor de rosa, mas a gente pode dar a cor que quiser e que nem sempre uma demissão é a pior coisa. As vezes um “pé na bunda” pode ser uma coisa muito boa também. É que a gente demora um pouco para perceber.

Pra piorar, dizem por aí que o mercado para os mais maduros está escasso e que estamos perdendo espaço para os jovens que estão chegando. CRENÇA LIMITANTE. O que existe é preconceito de algumas empresas, mas a grande maioria diversifica e valoriza muito a maturidade porque ela traz um olhar especial inclusive. E cá pra nós, não aceitamos mais qualquer coisa e nos tornamos mais seletivos também, não é?

O que temos que aprender é que vamos dividir espaço, que vamos lidar com a rejeição que antes não existia, e que a mistura de gerações e formatos, além de ser desafiadora pode ser de muito aprendizado. É preciso abrir a mente e se permitir ensinar, mas aprender sempre.

É verdade que um profissional acima de 40 não cabe em todos os projetos, e está tudo bem! Nem todo mundo cabe em qualquer coisa. Na vida real é assim e ainda bem.

O que eu quero dizer com tudo isso? É que a lição foi grande, mas o que você vai fazer com toda sua bagagem? Você é um poço de conhecimento e de experiencia, quase um mentor, e por isso mesmo você é tão rico e único. Se empodere disso!

Não deixe a insegurança do medo de perder espaço tomar conta de você. Até porque, se você não trabalhar isso, vai ser alguém indesejável, resistente, e afastar pessoas à sua volta, e isso sim, vai ameaçar sua empregabilidade.

Abandone definitivamente o termo “no meu tempo”, “na época que eu…”, “quando eu aprendi”. provavelmente você vai ser contrariado e é bom que você abra a mente para um novo olhar porque nem tudo que deu certo antes, agora funciona. Permita-se olhar com atenção para aquilo que te contradiz. Aí tem aprendizado!

Não existe ultima palavra em relação a nada nesse mundo atual que estamos vivendo. Percebo que tudo é experimento, e que o potencial de oportunidade é infinito. Hoje após os 40 anos, sinto que jamais estive tão bem profissionalmente como agora, porque me permito transformar um pouco todos os dias e percebo o reconhecimento por quem me tornei.

Olhe pra dentro e reconheça onde está sua vulnerabilidade e já comece agora a trabalhá-la para que se transforme em ponto de força.

Dentro da Antroposofia, existe uma teoria chamada de “Os Setênios da Vida” que explica que a cada 7 anos o ser humano muda seus propósitos de vida e seus desejos e atitudes mudam de direção. Aos 42 em diante, é a fase da maturidade, do aprendizado com as escolhas feitas e a prontidão para encarar a vida com sabedoria e espiritualidade.

Usufrua disso! É o ápice do equilíbrio.

Você tem tudo para que a segunda metade da sua vida seja incrível!

Um abraço e sucesso.

Texto original de Ale Kremer, publicado no Linkedin.

Comentários

Comentários