“No blockchain, o desafio não é mais tecnológico, é criar aplicações”

Publicado em
thinkstockphotos-623380160

Para especialistas, tecnologia pode diminuir burocracia e ajudar Brasil a retomar a confiança depois das crises envolvendo governos e empresas privadas

Antes de abrir a discussão no painel “Blockchain unchained”, Tyler Bryson, vice-presidente da Microsoft para América Latina e Caribe, perguntou à plateia quantas pessoas trabalham em companhias que têm projetos em blockchain. Várias mão se levantam. Em seguida, Bryson afirma: o blockchain será a tecnologia do futuro. Em uma sala relativamente pequena no Fórum Econômico Mundial, em São Paulo, todas as cadeiras estavam tomadas. Por presidentes de grandes empresas, inclusive.

Durante o painel, o pesquisador brasileiro especialista em tecnologia, Ronaldo Lemos, defendeu que o blockchain pode ajudar a reduzir a “grande crise de confiança que vivemos hoje”. De acordo com a última pesquisa do Instituto Edelman, disse ele, apenas o setor privado e as ONGs têm a confiança de mais de 50% da população.

No agronegócio, por exemplo, o país teve recentemente escândalos com a indústria da carne. “O blockchain pode melhorar o rastreamento de produtos. Já há iniciativas no mundo em que permitem que o consumidor, no supermercado, use o qr code na embalagem do produto, consiga saber exatamente de qual fazenda veio aquele produto, quem foi o agente governamental que fez a inspeção”, diz Lemos.

Para a aplicação de processos em blockchain para empresas, Tyler Bryson, da Microsoft, afirmou que não é necessário revolucionar toda a cadeia de suprimento de uma vez. “As companhias que estão fazendo isso estão começando com um fornecedor só, não com toda a rede de fornecedores”, diz. “Cada empresa começa com um fornecedor, ou com um processo que pode melhorar. E esses projetos são feitos em semanas. A tecnologia é simples, e já é segura e confiável. Agora é questão de criar aplicações para ela”.

Outra oportunidade que ele vê para o uso do blockchain é na redução da burocracia. “É possível criar processos para acabar com a burocracia, podemos nos tornar líderes em tecnologia contra a burocracia, isso não falta para o Brasil, e é possível criar soluções criativas para isso”.

No campo da internet e segurança, a tecnologia pode permitir criar identidades digitais. “Há grupos que tentam fazer isso há anos, e agora finalmente temos uma aplicação que permite isso”, diz. “Não ter uma identidade digital faz com que seja possível espalhar fake news, e cria dificuldade em rastrear e combater crimes na internet”. “Com o blockchain, o problema não é mais a tecnologia, é criar um padrão para isso”, diz Ronaldo Lemos. Na política, um exemplo que já está em prática é o aplicativo Mudamos, que permite que os cidadãos criem projetos de lei e façam abaixo-assinados para que eles sejam votados no Legislativo.

 

Por Daniela Frabasile

Fonte:https://epocanegocios.globo.com/Tecnologia/noticia/2018/03/no-blockchain-o-desafio-nao-e-mais-tecnologico-e-criar-aplicacoes.html

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
Business people using internet

Afinal, o que é Web 3.0 e qual sua relação com o Metalaw?

News-LEX

Inteligência artificial e Jurimetria: como a tecnologia influencia no Direito?

martelo

O fim do software jurídico no Brasil, por Vinícius Marques

Business people with startup rocket

Assessorando negócios com startups

Hands in a digital universe background

Metaverso será a próxima onda das ODRs? Uma disrupção sem fronteiras

dominoes-ge819e653e_1920

Decreto 11.129/22 e o programa de integridade nas empresas - o que muda?

Retinal biometrics technology with man’s eye digital remix

Quais são as habilidades do advogado do futuro?

Valentine's Day concept with tic tac toe on beige background

UNIÃO ESTÁVEL NO METAVERSO?

EMPRESAS ALIADAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.