MACHINE LEARNING, BIG DATA E INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL: QUAL O BENEFÍCIO PARA EMPRESAS E APLICAÇÕES NO DIREITO?

Publicado em
MACHINE LEARNING, BIG DATA E INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL: QUAL O BENEFÍCIO PARA EMPRESAS E APLICAÇÕES NO DIREITO?

Luis Assunção

Ciência de Dados e Inteligência Artificial, tecnologias cada vez mais presentes nas áreas Humanas e que no ano de 2017 foram extremamente discutidas em grandes eventos de Startups, LegalTechs, Conferências de Direito, Fóruns e até mesmo de Hackathons (maratona de codificação e inovação); contudo ainda geram muita dificuldade de compreensão em relação a sua aplicabilidade, motivando a elaboração desse artigo.

Mas quais são os benefícios para o mundo jurídico?

A entrada do processo e peticionamento eletrônico, que finalizou a circulação de documento em forma de papel, foi um primeiro passo para a modernização do mundo jurídico. No entanto, o “modelo de negócio” continuou o mesmo, por vários motivos, principalmente pela adoção do formato em PDF como meio de comunicação das peças jurídicas, que não traz nenhuma forma de indexação e/ou busca de palavras ou temas, muito menos permte qualquer tipo de análise automatizada mais profunda, que gere indicadores, análises de causa-raíz e estatísticas; ferramentas estas que facilitariam o dia a dia dos magistrados e advogados, trazendo celeridade nas análises dos processos, bem como um diagnóstico mais aprofundado do seu próprio trabalho e assim, estariam alinhados com a nova visão da Jurimetria.

IA – INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

Inteligência Artificial é a área da Ciência da Computação orientada ao entendimento, construção e validação de sistemas inteligentes, isto é, que exibem, de alguma forma, características associadas ao que chamamos inteligência“. (Rich & Knight, 1994).

Existem muitos exageros no potencial emprego do conceito de Inteligência Artificial nas soluções de negócio e do Direito. A generalização superficial da adoção dessa tecnologia transmite para os leigos uma sensação de ferramenta mágica, que resolverá sozinho qualquer tipo de problema ou questão.

A Inteligência Artificial é um conceito abrangente, que envolve um conjuntos de várias tecnologias que procuram “imitar” as características humanas (como, por exemplo, a capacidade de ler e entender a linguagem natural). Essas ferramentas tecnológicas, de forma individualizada, resolvem uma necessidade específica. Por exemplo, a tecnologia de big data, de uma forma simplista, está ligada a capacidade de armazenamento de dados (textos, imagens, sons…) em larga escala, em analogia a capacidade humana de memorizar informações, como ilustrado na figura a seguir:

ai

MACHINE LEARNING

Machine Learning é um conjunto de técnicas e modelos estatísticos, permitindo que máquinas desenvolvam modelos e façam predições sem a necessidade de reprogramação. Conforme vão sendo expostas a novos dados, vão aprendendo mais e se adaptando de forma independente. Em conjunto com a capacidade de armazenamento do big data é possível extrapolar o espaço amostral e processar um grande volume e variedade de dados, ampliando em muito o escopo da análise.

Esses modelos analíticos permitem que pesquisadores, cientistas de dados e analistas possam “produzir decisões e resultados confiáveis e repetitíveis” e descobrir os “insights escondidos” através do aprendizado das relações e tendências históricas nos dados.

esquema

 

INDEXAÇÃO PARA EMPODERAMENTO

A Ciência de Dados aplicado ao Direito traz um empoderamento ao magistrado e ao advogado no que se refere ao aprofundamento dos fatos e dos casos reais, permitindo um melhor diagnóstico e aumentando a amplitude de entendimento em uma visão mais completa do histórico de processos.

Conhecer a realidade é o primeiro passo para transformá-la.

A extração de termos, com o uso automatizado (robotização), pode ser realizada com técnicas (algoritmos) de NLP – Processamento da Linguagem Natural, além do uso de dicionários específicos, denominados “Bases de Conhecimento” (knowledge bases), que possuem um conhecimento já previamente armazenado e categorizado (p.ex. dicionário de termos que caracterizam um agravante; lista de entidades; lista de localidades; lista de termos em latim – juridiquês, etc).

A extração de termos (indexação) é o primeiro passo para o real entendimento, e posterior correlação com as consequências, realizado com a adoção de modelos estatísticos que vão correlacionar as características de cada processo (peça inicial), com seus outros respectivos documentos (acordo ou sentença).

O passo seguinte será a adoção de métodos quantitativos e estatísticos, que irão combinar de forma massiva todas as variáveis e informações extraídas das peças, para entender o comportamento de um conjunto similar de casos, permitindo análise comparativas e regionalizadas ao longo do tempo, detalhando as motivações e causa-raíz, estabelecendo probabilidades e indicadores mais precisos e assertivos para cada tipo de situação. Tal método de análise é também conhecido por Jurimetria.

Com base em todo conhecimento adquirido, e já calculado os indicadores e percentuais probabilísticos, é possível inferir resultados de novos processos a partir de situações similares a processos passados. É possível, por exemplo, estimar valores otimizados para acordos; estimar a probabilidade de obter uma setença favorável; e até propor, de forma automatizada, uma recomendação de estratégia (defesa ou acordo). Nesse momento final do fluxo de informações, poderemos afirmar que existe realmente “uma inteligência” inserida no Direito. E se esse modelo puder ser automatizado para dar escalabilidade e reuso, de uma forma que as estatísticas sejam sempre retroalimentadas ao longo do tempo, então teremos afinal a tecnologia de Machine Learning aplicada de forma plena.

Se pegarmos, por exemplo, uma sentença judicial, é razoável assumir que seu sentido último é produto não só do que a lei diz, mas também de um intrincado e complexo conjunto de fatores sociais, econômicos e culturais envolvidos em um elaborado processo psicossocial de convencimento, influenciável por fatores como os valores políticos e pessoais dos magistrados, a empatia com as partes, a linha de argumentação escolhida por estas, a experiência de vida do juiz, a pressão institucional exercida por órgãos de controle do Poder Judiciário, o sentido dos precedentes proferidos em casos análogos, dentre inúmeros outros.” (GUEDES NUNES, 2016).

Ciência de Dados aplicada ao Direito:

Benefícios para empresas com contencioso massivo:

– Análises de causa-raiz, detalhamento dos problemas e reais motivações;

– Atuar na prevenção e reduzir recorrências e entradas de novos processos;

– Melhorar a previsibilidade e assertividade na provisão de perdas;

– Entender comportamentos e estabelecer correlações;

– Identificar recorrências e ofensores;

– Identificar anomalias e índicios suspeitos (fraudes e abusos);

– Redução do custo operacional e redução de perdas;

– Descrever variabilidades e controlar suas incertezas.

Benefícios para magistrados:

– Dar mais celeridade aos processos;

– Melhorar visibilidade e previsibilidade (projetar tendências);

– Estabelecer correlações e entender comportamentos (Jurimetria);

– Priorizar os casos mais críticos e com agravantes (liminares, ações cautelares);

– Agilizar o entendimento dos casos (pré-diagnóstico);

– Compreensão detalhada de assuntos específicos do caso concreto;

– Destacar as informações mais relevantes (indexação);

Benefícios para o advogado / escritório do autor:

– Melhorar a previsibilidade e eficácia de ganho do processos;

– Melhorar a estratégia baseada em situações similares;

– Acurácia nas informações a serem repassadas aos clientes;

– Descrever variabilidades e controlar suas incertezas.

Fonte http://www.lexmachinae.com

Por Luis Assunção

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
O fim do software jurídico no Brasil, por Vinícius Marques

O fim do software jurídico no Brasil, por Vinícius Marques

Assessorando negócios com startups

Assessorando negócios com startups

Metaverso será a próxima onda das ODRs? Uma disrupção sem fronteiras

Metaverso será a próxima onda das ODRs? Uma disrupção sem fronteiras

Decreto 11.129/22 e o programa de integridade nas empresas – o que muda?

Decreto 11.129/22 e o programa de integridade nas empresas - o que muda?

Quais são as habilidades do advogado do futuro?

Quais são as habilidades do advogado do futuro?

UNIÃO ESTÁVEL NO METAVERSO?

UNIÃO ESTÁVEL NO METAVERSO?

Como se darão as conexões no Metaverso (Em suas mais variadas searas)  

Como se darão as conexões no Metaverso (Em suas mais variadas searas)  

Blockchain na administração pública e o case Real Digital

Blockchain na administração pública e o case Real Digital

EMPRESAS ALIADAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.