Legal Design: Uma Mudança de Mindset

Caroline Vasconcelos fala sobre o que é legal design e pra que ele serve
Publicado em
Greek statue with risograph effect remixed media
Imagem: Freepik

Texto de Caroline Vasconcelos, CEO da Societário Digital, para o Observatório AB2L

Se você é um(a) profissional da área jurídica e tem o desejo de inovar na prestação dos seus serviços, mas não sabem exatamente como ou por onde começar, esse breve artigo pode lhe interessar.  

Certamente existem diversas formas de se inovar na área jurídica e uma delas é por meio do Legal Design.

O Legal Design consiste na implementação de técnicas do design ao direito no intuito de recolocar o ser humano no centro dos serviços e produtos jurídicos. Surgiu como uma resposta à necessidade de criação de serviços e produtos jurídicos mais claros e que realmente atendam às necessidades de seus usuários.

Mas a aplicação do Legal Design envolve o uso de tecnologia digital? Não necessariamente. Legal Design é inovação. E a tecnologia é uma das ferramentas de inovação. O Visual Law, que é uma das subáreas do Legal Design, é prova de que nem sempre inovação está ligada a tecnologia, pois uma das maiores tendências de inovação jurídica na atualidade é justamente a mudança na forma que se realiza a comunicação e na sua efetividade para cada usuário ou destinatário do serviço ou produto jurídico.

E quando envolve o uso de tecnologia? Simples, quando a utilização de ferramentas tecnológicas tem o potencial, a capacidade de diminuir os custos do nosso escritório ou departamento jurídico, aumentar a eficiência, otimizar o nosso trabalho e, ainda, possibilitar a entrega de melhores serviços aos nossos clientes.

Mas que ferramentas são essas? Onde encontramos? Atualmente, existem no mercado inúmeros softwares que podem ser implementados nos escritórios de advocacia ou departamentos jurídicos, muitos desenvolvidos exclusivamente para o setor jurídico. Só no radar da AB2L são 167 lawtechs e legaltechs com softwares das mais variadas categorias.

E quando ainda não existe um software adequado para resolver alguma dor que enfrentamos em nossa rotina profissional? Bom, primeiro temos que identificar se esse realmente é um problema passível de ser resolvido por uma máquina ou se é tarefa de ser humano. Se pode ser resolvido por um software e se existe um considerável número de pessoas que sofrem com esse mesmo problema, nós podemos estar diante de uma bela oportunidade. E a verdade é que o mercado jurídico ainda está repleto de oportunidades.   

Enfim, temos um longo caminho a percorrer considerando todo esse desenvolvimento exponencial da inovação que estamos vivenciando. E o Legal Design, muito mais do que uma forma de inovação jurídica, proporciona a mudança de mindset que nós, profissionais do Direito, tanto necessitamos.

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
14cfba59-94f6-4724-9c7e-6828caadc8a2

Advogado, qual é o seu maior medo? - Abertura do AB2L Lawtech Experience 2022

businessman hand stop dominoes continuous toppled or risk with c

Uma alternativa para a resolução de conflitos

Correcting interface

Marketing jurídico: o que é e como fazer

Entrepreneur using digital tablet

Você está pronto para o mercado 4.0?

African American bank manager and a couple signing a contract in

Legal Ops: O que são e porque investir nesse setor?

Business people using internet

Afinal, o que é Web 3.0 e qual sua relação com o Metalaw?

News-LEX

Inteligência artificial e Jurimetria: como a tecnologia influencia no Direito?

martelo

O fim do software jurídico no Brasil, por Vinícius Marques

EMPRESAS ALIADAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.