Bitcoin: como funciona?

Publicado em
Bitcoin, como funciona? - Blockchain Academy

Se você ainda não sabe exatamente o que significa Bitcoin, sugerimos que pause a leitura do presente artigo e vá ler a explicação que está em outro texto (link).

Entendido o que é o Bitcoin e qual o contexto do seu surgimento, podemos partir para uma exposição básica de como o sistema funciona. 

Lembramos, porém, que explicar em palavras o funcionamento do sistema Bitcoin não é uma tarefa simples e, por isso, esse artigo não contemplará todos os pormenores da rede (funcionará como uma introdução aos novos paradigmas)

Como funciona? 

O Bitcoin é um sistema operando como um software, baixado por “Nós” que, em conjunto, compõem uma rede. 

Cada um dos Nós, ou seja, cada integrante da rede, é um agente validador de transações realizadas – criação e troca de bitcoins. 

O sistema opera em uma base de governança descentralizada – não há hierarquia entre os Nós da rede – e de comunicação distribuída – os Nós se comunicam. 

A premissa básica do sistema é a confiança a partir da desconfiança, o que significa dizer, que não há a necessidade de se confiar em um agente em si, centralizado, mas se confia no sistema de consenso e verificação como um todo.

Representação do Sistema Bitcoin

É o próprio sistema que vai garantir a veracidade e idoneidade das transações. 

Então, resumindo, vamos explicar como funciona basicamente o sistema Bitcoin:

  • As informações do sistema Bitcoin ficam armazenados em uma rede distribuída, onde cada Nó tem todas as informações da rede.
  • Uma pessoa se conecta ao sistema e consegue um endereço (cada pessoa pode criar quantos endereços quiser) que terá um par de chaves. Uma chave pública, conhecida pela rede; e uma chave privada, que somente o dono da conta tem.
  • As carteiras (wallets) são vinculadas a 1 ou mais endereços e funcionam como um gerenciador de chaves, que permite gerar, assinar e enviar transações para a rede, mas não é ela que armazena o seu saldo. 
  • Para se acessar os endereços e as carteiras, fazendo as trocas pretendidas, a pessoa necessita da sua chave privada. Portanto, a chave privada funciona como uma senha.
  • Uma pessoa tem vontade de transferir bitcoins para outra. Então, ela “comunica” a rede que fará uma transação – um evento que pretende alterar o status sobre as informações relacionadas ao Bitcoin. Por exemplo, uma criação de bitcoin é uma transação; uma troca de bitcoin também é uma transação. 
  • Os Nós da rede, chamados Mineradores, irão validar esta operação – eles verão basicamente se há saldo suficiente e atualizarão os valores de cada conta.
  • Após a validação pelos Nós mineradores, os outros Nós irão realizar um trabalho de auditoria para avaliar se os Mineradores fizeram um bom trabalho. É necessário a validação de 50%+1 Nós da rede nessa etapa.
  • Após isso, os Nós irão atualizar as informações da rede e um novo bloco com informações de toda a rede será adicionado na cadeia. 
  • A partir da criação do novo bloco, a transação está concluída e os valores estão atualizados.
  • O tempo médio esperado para que as trocas aconteçam é de 10 minutos e esse tempo independe da localização geográfica das duas partes. 

O sistema Bitcoin traz um novo paradigma na relação das pessoas com seus recursos, pois ele permite que tenhamos o controle direto sobre nossos valores. 

Isto quer dizer que se você adquirir uma determinada quantidade de bitcoins e armazenar suas chaves  em uma hard wallet (carteira física), somente você pode gerenciar sua quantia – transferir, guardar, pagar, etc. 

Inclusive, disso decorre uma característica inata ao Bitcoin, que é a resistência à censura. Sem acesso a sua chave privada, é impossível que ocorra um confisco dos seus bitcoins, demonstrando que você realmente é o dono e custodiante das suas quantias, diferentemente do seu dinheiro que está guardado em uma conta bancária comum.

Exemplo de Wallet

Fonte: Blockchain Academy

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
Business people using internet

Afinal, o que é Web 3.0 e qual sua relação com o Metalaw?

News-LEX

Inteligência artificial e Jurimetria: como a tecnologia influencia no Direito?

martelo

O fim do software jurídico no Brasil, por Vinícius Marques

Business people with startup rocket

Assessorando negócios com startups

Hands in a digital universe background

Metaverso será a próxima onda das ODRs? Uma disrupção sem fronteiras

dominoes-ge819e653e_1920

Decreto 11.129/22 e o programa de integridade nas empresas - o que muda?

Retinal biometrics technology with man’s eye digital remix

Quais são as habilidades do advogado do futuro?

Valentine's Day concept with tic tac toe on beige background

UNIÃO ESTÁVEL NO METAVERSO?

EMPRESAS ALIADAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.