As principais características para introduzir a metodologia OKR no seu escritório

Publicado em
As principais características para introduzir a metodologia OKR no seu escritório

Na semana passada, trouxe um pouco sobre como a metodologia OKR funciona e como ela pode ser útil para o seu escritório de advocacia. E hoje, podemos avançar um pouco mais no assunto, tratando das principais características para aqueles que desejam trabalhar com Objetivos e Resultados Chaves (tradução do nome original, em inglês).

 Primeiramente, a comunicação precisa ser fortemente levada em consideração, afinal, a OKR é uma ferramenta de comunicação interna que deve alinhar as expectativas do seu time com os colaboradores. Caso seja deixada de lado, irá comprometer no futuro a transparência exigida. 

E neste caminho, é fundamental que eles contenham uma linguagem simples, de fácil compreensão por todos, tornando a comunicação mais clara e eficaz. Não adianta escrever OKRs muito longos, pois eles devem ser fáceis de memorizar. Lembre-se que eles devem estar alinhados com a cultura da empresa.

Os seus OKRs devem conter números, já que estamos falando de busca por mensuração para o escritório. Sem eles, é impossível alcançar os objetivos traçados. E quando pensamos na quantidade, o recomendado pelos grandes usuários é que em cada ciclo, um colaborador tenha entre dois e cinco Objetivos (O), sendo que cada um deles deve ter entre dois e cinco resultados chave (KR). 

Dois termos utilizados na metodologia são Bottom-Up e Top-Down. Como os OKRs devem ser acordados entre gestor e colaborador, a expectativa é de que, no mínimo, 60% dos objetivos devem ser definidos bottom-up, ou seja, pelo próprio colaborador que vai trabalhar naquele OKR. Já o restante, deve estar alinhado à estratégia ou aos Objetivos Macro da empresa e vir no modelo tradicional top-down (da maior liderança do seu escritório e ir descendo no organograma estrutural).

Por fim, não esqueça dos ciclos. Grande parte das empresas que adotam a metodologia utilizam ciclos trimestrais de OKR. Mas já vi indicadores que sugerem aos iniciantes ciclos curtos, de 30 a 45 dias, para facilitar o aprendizado e acelerar o ciclo de feedback. Claro, ao longo do tempo você perceberá que surgirão outros OKRs de alto nível, que serão anuais. Estes devem ser poucos e pensados como critérios de sucesso para o ano.

Na metodologia OKR o acompanhamento do progresso e correção dos erros acontece de forma rápida, bem como as atualizações regulares para ganhar visão e insights. Aproveite os ciclos de OKR e evolua o seu modelo a cada novo ciclo.

Desvende mais sobre a metodologia e leve ela para seu escritório. E não esqueça, busque as melhores soluções tecnológicas para adaptar à sua rotina e a de seus colaboradores. Assim, todos terão a unidade para alcançar os objetivos e resultados chaves almejados.

Fonte: Artigo no Linkedin

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
Business people using internet

Afinal, o que é Web 3.0 e qual sua relação com o Metalaw?

News-LEX

Inteligência artificial e Jurimetria: como a tecnologia influencia no Direito?

martelo

O fim do software jurídico no Brasil, por Vinícius Marques

Business people with startup rocket

Assessorando negócios com startups

Hands in a digital universe background

Metaverso será a próxima onda das ODRs? Uma disrupção sem fronteiras

dominoes-ge819e653e_1920

Decreto 11.129/22 e o programa de integridade nas empresas - o que muda?

Retinal biometrics technology with man’s eye digital remix

Quais são as habilidades do advogado do futuro?

Valentine's Day concept with tic tac toe on beige background

UNIÃO ESTÁVEL NO METAVERSO?

EMPRESAS ALIADAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.