Por que a inteligência artificial ‘faz tudo’ pode não ter nada de inteligente

Publicado em
brain

Não é de hoje que a inteligência artificial (IA) desperta altas expectativas. Em 1927, o filme alemão “Metropolis”, dirigido por Fritz Lang, expôs nas telas do cinema mudo um robô capaz de se passar por humano e mudar o rumo da história. Nos anos seguintes, uma infinidade de outros títulos de ficção científica mostrou robôs com múltiplas habilidades e, em muitos casos, a clássica ambição de dominar o mundo.

Considerando alguns resultados de estudos feitos fora das telas de cinema, porém, o caminho para desenvolver a IA não parece ser exatamente esse. Em vez de um assistente que consiga fazer de tudo, é mais provável termos vários dispositivos especializados, afirma a pesquisadora Janelle Shane, em artigo à Fast Company.

A inteligência artificial é muito boa em se especializar um tema. Os problemas surgem quando tentamos inserir tarefas e conteúdos mais abrangentes. Por exemplo: é possível treinar uma inteligência artificial para identificar animais. Com algum treinamento, o algoritmo aprende a perceber texturas e formatos. Em teoria, essas habilidades podem ser usadas para identificar frutas. Mas quando se tenta ensinar essa inteligência artificial a perceber frutas, acontece um fenômeno chamado “esquecimento catastrófico” — a máquina não conseguirá mais identificar animais, além de não aprender a ver as frutas corretamente.

Outro exemplo que mostra como a inteligência artificial tem um melhor desempenho quando se dedica a tarefas específicas está na culinária. Quando pesquisadores pediram que um robô que estudou 30 mil receitas variadas (de sopas a bolos) criasse uma própria, a tecnologia sugeriu um “Arroz Espalhado de Frango”, que leva ovos, saladas e torta de framboesa, mas não tem entre seus ingredientes nem arroz e nem frango.

Quando pediram para que um sistema de IA similar, mas que estudou apenas bolos, criasse uma receita, o resultado foi bem diferente. A inteligência criou a sua versão de bolo de cenoura. Embora as instruções fossem falhas (o sistema acabou esquecendo a maioria dos ingredientes e pedindo para que o cozinheiro assasse uma mistura de ovos batidos), a lista de ingredientes pelo menos parece mais coerente: farinha, fermento, uma pitada de sal, canela, cravo, baunilha, nozes, ovo e açúcar. O método também se assemelha a uma receita real: bater a mistura e assar a massa por 40 minutos, ou até que você espete um palito de dente no bolo e ele saia limpo.

Os dois robôs atrapalhados ilustram um diagnóstico apontado por desenvolvedores de aprendizado de máquinas (machine learning): faz mais sentido criar algoritmos com atividades limitadas e específicas do que tentar criar uma inteligência artificial que faça tudo.

Essa é a essência da Artificial Narrow Intelligence (também conhecida como “inteligência artificial estreita”), já muito presente no cotidiano. É uma tecnologia desse tipo que cuida, por exemplo, da pasta “Spam” do seu e-mail — e que contrasta com a Artificial General Intelligence(“inteligência artificial genérica”), que poderia desempenhar diferentes tarefas e interagir como um humano.

 

Por: POR ANA LAURA PRADO
Fonte: https://epocanegocios.globo.com/Tecnologia/noticia/2018/07/por-que-inteligencia-artificial-faz-tudo-pode-nao-ter-nada-de-inteligente.html

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
BGC

Streamers gamers apostam em um novo nicho: eventos proprietários

Brasil movimentará US$ 2,7 bi em negócios relacionados a games em 2022
carreira_profissoesdofuturo_24022021_Marko-Geber_GettyImages-3-768x512

No pain, no gain: tentativa e erro devem fazer parte da cultura das empresas da era digital

Atualmente as empresas procuram desencadear transformações digitais e se beneficiar de infraestruturas escaláveis e ágeis
acordo-online-negociacao-aperto-maos

Plataformas de ODR agilizam conciliação online e facilitam acordos entre as partes

Daniel Marques, diretor executivo da AB2L fala para a Conjur
jus-gif-2

PNUD e Jusbrasil assinam parceria para pesquisas sociais no Brasil

O Jusbrasil assinou uma nova parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no intuito de ampliar as ações relacionadas ao cumprimento do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável de número 16
EMPRESAS ALIADAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.