Pesquisar
Close this search box.

Popcorn Time e seus usuários são processados por pirataria

Publicado em
Popcorn Time e seus usuários são processados por pirataria

O programa pirata de “streaming” Popcorn Time está sendo processado mais uma vez por um grupo de estúdios cinematográficos independentes, composto por Fallen Productions, Voltage Holdings e Millennium Funding. Os usuários do serviço e outras empresas acusadas de pirataria também viraram alvo do grupo.

Os estúdios afirmam que a plataforma distribui cópias sem o consentimento das produtoras, ou seja, promovem a pirataria. As empresas Wicked Technology, responsável pelo VPN.ht, utilizada pelo Popcorn, e a Voxility, responsável pela hospedagem do conteúdo, também estão sendo processadas por violação de direitos autorais.

Segundo o grupo, mesmo com várias denúncias feitas ao Voxility, a empresa não fez nada para resolver o problema. A mesma situação ocorre com a Wicked, que promove serviço de VPN como uma ferramenta de proteção para usuários consumirem o conteúdo da plataforma de forma ilegal.

A ação contará com a ajuda dos advogados Kerry Culpepper e Timothy Hyland, que já são conhecidos por atuarem contra a pirataria nos Estados Unidos. Os autores do processo também exigem que o serviço de VPN forneça os nomes dos responsáveis pelo Popcorn Time.

Histórico

Não é a primeira vez que a plataforma está envolvida com polêmicas. Os programadores já abandonaram – e retomaram – o projeto inúmeras vezes por conta de processos. Grandes nomes da indústria cinematográfica como a Motion Picture Association, representante dos cinco maiores estúdios  de Hollywood, já entraram com ações contra o serviço de pirataria. Em 2020, o dono do site foi preso na Dinamarca por publicar tutoriais ensinando a baixar, instalar e usar conteúdos pirateados.

Fonte: Tecmundo

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
SITE

INFORME AB2L 2024

#03 02/24 Podcast AB2L Talks no Spotify Para expandir o acesso aos nossos conteúdos, o podcast AB2L Talks
Ganhadoras do prêmio "BestSisters in Law", realizado pelo grupo BlackSisters in Law (Imagem: Análise Editorial/Acervo Pessoal).

BlackSisters in Law realiza premiação em São Paulo

Com a participação da Análise Editorial, o evento premiou 18 mulheres negras em distintas áreas do direito
Imagem: Folha de São Paulo.

Escândalos e competição acirrada turbinam metamorfose de marcas

Escritórios e agências surfam na onda recente do reposicionamento de empresas
caroline vasconcellos 2024

EMPREENDEDORISMO: DE ARTESÃ A FOUNDER & CEO DE UMA LEGALTECH

Publicação original, Caroline M. A. Vasconcellos Nasci com a veia empreendedora. Recordo-me que entre os 07 e 11
EMPRESAS ALIADAS E MANTENEDORAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.