PL do Governo Digital cria pedágio para a inovação, diz manifesto de entidades

Publicado em
PL do Governo Digital cria pedágio para a inovação, diz manifesto de entidades

Entidades do setor de tecnologia prepararam um documento para pedir ao presidente que vete, parcialmente, o Projeto de Lei que estabelece regras para prestação digital de serviços públicos, o chamado Governo Digital. O PL 317/2021 foi aprovado quinta-feira,25, pelo Senado Federal.

A ideia é desburocratizar a prestação de serviços à sociedade, conferindo agilidade e eficiência ao poder público. Acontece que o PL aprovado prevê a cobrança pelos órgãos do governo sobre a disponibilização de dados públicos, práticas que contrariam as recomendações da OCDE e as melhores práticas internacionais. O art. 29, §3º do PL 317/2021 é classificado pelas entidades como preocupante para todo o setor de tecnologia, inclusive para a transparência das informações a serem prestadas à sociedade.

“O Projeto do Governo Digital é muito bom, mas a possibilidade de cobrança dos dados abertos, acabou destruindo o projeto todo, não aguentamos mais bancar o custo da irresponsabilidade fiscal de quem não empreende e não sabe a luta do outro lado do balcão”, resume o presidente da Federação das Associações das Empresas de Tecnologia da Informação, Italo Nogueira.

O documento com dados técnicos contrários ao artigo 29 é assinado por várias entidades. De acordo com o diretor da Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs (AB2L), Daniel Marques, “O projeto é muito importante e positivo, no entanto, o número inserindo a cobrança é contrário às recomendações da OCDE e a lógica prevalente internacional de uma economia de dados em que dados públicos abertos servem como infraestrutura permitindo o desenvolvimento de inúmeros novos negócios; e desincentiva o uso de dados abertos, caminho reverso de diversos países como Estados Unidos e Canadá que criaram agências públicas que facilitam o acesso a dados públicos”.

O material técnico também aponta como o trecho em questão vai contra os princípios da administração pública ao impor restrições à publicidade, quebrar a impessoalidade ao criar um desequilíbrio para quem tem mais recursos, ter melhor acesso a serviços públicos e obstar a eficiência ao criar uma nova barreira de acesso.

Outra entidade signatária do manifesto, o Instituto de Tecnologia e Sociedade (ITS Rio), alerta que o artigo 29 cria uma espécie de “pedágio”. Para Fabro Steibel, Diretor Executivo do ITS Rio, “o Brasil sempre foi liderança na agenda de governo e dados abertos, mas a mudança proposta coloca o Brasil na contramão do que a OECD e a OGP defendem. Além disso, o PL vai na contramão do incentivo ao governo digital, ao criar custos (e não incentivos) para uso por governos e empresas de dados públicos, quando o caminho que beneficia a economia. A mudança incentiva o governo a criar um ‘pedágio’ para acesso a APIs de dados públicos, o que reduz a publicidade de dados abertos, e coloca em risco nosso protagonismo internacional, e a economia”.

O documento é assinado pelas seguintes entidades:

ASSESPRO – Federação das Associações das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação

AB2L – Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs

ITS Rio – Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro

Instituto Soma Brasil

Associação Dínamo

Endeavor

Anprotec – Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores

ABStartups – Associação Brasileira de Startups

Rede Brasileira de Conselhos-RBdC

Fonte: tiinside

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
35288247962-b1ecf8d9b7-c

Solução de captura técnica de provas digitais da Verifact é utilizada pelo TSE e MPF

Tecnologia de coleta e preservação de provas digitais desenvolvida pela empresa Verifact, associada a AB2L, foi usada pelo Ministério Público Federal e Tribunal Superior Eleitoral nas últimas eleições
_113967234_hi031081850

Em resposta ao ChatGPT, Google planeja lançar 20 projetos de inteligência artificial em 2023

A empresa queria ir devagar, mas a ameaça externa da OpenAI acelerou o planos
Captura de tela 2023-01-27 094937

Cinco tendências de tech e ESG apresentadas em Davos

Diversidade e inclusão foram alguns dos principais destaques do relatório sobre o cenário atual do mercado global de tecnologia, lançado durante o Fórum Econômico Mundial
Captura de tela 2023-01-27 094517

“Não há falta de dinheiro para startups”, diz cofundador da Liga Ventures

Guilherme Massa explica que os desafios têm relação com um tempo maior de decisão dos investidores baseado no momento econômico e na busca por retorno
EMPRESAS ALIADAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.