Liberland obtém reconhecimento da Comissão Europeia como nação independente

Publicado em
24550214_GI20042016REINALDORODRIGUES792_WEB-1060x594
Imagem por Dinheiro Vivo

Em 2019, o estado soberano de Liberland continua a obter conquistas rumo ao seu reconhecimento. Dessa vez, partiu de ninguém menos que a Comissão Europeia, órgão executivo da União Europeia (UE).

Em 31 de janeiro, a micronação que reivindica a parcela de terra entre a Croácia e a Sérvia foi reconhecida por Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia. Além de Juncker, os principais líderes do bloco, bem como os membros do Parlamento Europeu, reconheceram a soberania do pequeno país.

O território de sete quilômetros quadrados nas margens do rio Danúbio, próximo da divisa entre a Sérvia e a Croácia, foi reivindicado em 2015 por um grupo de indivíduos que acreditam em ideologias libertárias: o resultado foi a criação da República Livre de Liberland.

O presidente de Liberland Vít Jedlička e os cidadãos do pequeno país afirmam que nenhuma das duas nações fronteiriças reivindica a terra como sua. Desde então, o grupo tem lutado para ser reconhecido pelo restante dos líderes mundiais seguindo o protocolo de terra nullius. Em junho do ano passado, Liberland apresentou seu caso aos membros do Parlamento da UE, a fim de ser reconhecido como um Estado-nação soberano.

Entretanto, Juncker afirmou que Liberland, também conhecido como Gornja Siga, “necessita fornecer mais esclarecimentos” a respeito de seu pedido. No entanto, o presidente do país comemorou a decisão e destacou a importância dela para o processo de independência e soberania do país.

“Este é um passo extremamente importante e representa um progresso real para nós”, explicou. “Estamos um passo mais perto de saber que, mesmo não sendo um território da UE, podemos nos tornar um Estado soberano independente.”

Criptomoedas e liberdade

Além de sua mentalidade libertária, Liberland também ficou conhecida pela sua adoção às criptomoedas e à blockchain. O país está envolvido com a disseminação de novas tecnologias descentralizadas e inovadoras, seguindo o espírito de liberdade de sua fundação.

O site oficial da República Livre de Liberland afirma que em um mundo cheio de excesso de taxação e excesso de regulamentação, os cidadãos do país acreditam em apoiar tecnologias voltadas para o futuro, como criptomoedas e sistemas incorporados de DAO (Organização Autônoma Descentralizada).

Além disso, o país já emite a sua própria criptomoeda, o Liberland Merit (Mérito de Liberland, em tradução livre). A criptomoeda pode ser utilizada para adquirir a cidadania ou para fazer doações ao futuro país através do site oficial.

Até agora, a região tem atraído a atenção de diversos adeptos da ideologia libertária: mais de 550.000 candidatos a cidadãos de Liberland já fizeram o pedido de cidadania.

Leia também: Entrevista com o presidente de Liberland: uma “nação” construída com Bitcoin e Blockchain

 

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
BGC

Streamers gamers apostam em um novo nicho: eventos proprietários

Brasil movimentará US$ 2,7 bi em negócios relacionados a games em 2022
carreira_profissoesdofuturo_24022021_Marko-Geber_GettyImages-3-768x512

No pain, no gain: tentativa e erro devem fazer parte da cultura das empresas da era digital

Atualmente as empresas procuram desencadear transformações digitais e se beneficiar de infraestruturas escaláveis e ágeis
acordo-online-negociacao-aperto-maos

Plataformas de ODR agilizam conciliação online e facilitam acordos entre as partes

Daniel Marques, diretor executivo da AB2L fala para a Conjur
jus-gif-2

PNUD e Jusbrasil assinam parceria para pesquisas sociais no Brasil

O Jusbrasil assinou uma nova parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no intuito de ampliar as ações relacionadas ao cumprimento do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável de número 16
EMPRESAS ALIADAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.