O cenário de Lawtechs é promissor! Uma prova disso? A criação da AB2L

Publicado em
shutterstock_590537309-702x336

Com apenas três meses, a Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs já soma 30 startups

8 de setembro de 2017

O lançamento da Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs (AB2L) se deu há apenas 3 meses e não foi por acaso. Com cada vez mais startups voltadas para o meio jurídico, tornou-se necessário ter uma associação que representasse esse nicho.

Segundo Bruno Feigelson, CEO da Sem Processo, tudo começou no final do ano passado. Depois de encontrar Matheus Bombig, CFO da Invenis, em um evento e de conversarem sobre o mercado de lawtechs, ele criou um grupo no WhatsApp com o objetivo de discutir questões regulatórias, aproximação do mercado, etc., com mais pessoas do ramo. Foi a partir dessas conversas que surgiu a ideia de fundar a AB2L para ser uma entidade que reunisse essas iniciativas e pudesse ajudá-las.

De fato, há demanda para tal, uma vez que nesse curto período de tempo a AB2L passou de quatro startups – que deram origem à associação – a 30. Delas, há iniciativas que vão desde big data, inteligência artificial, jurimetria, automatização de contratos até marketplaces jurídicos, robôs e plataformas de gestão para escritórios.

No caso, a demanda não ocorre só por parte de startups precisando de apoio, mas também do que o mercado precisa em relação a serviços jurídicos. Uma pesquisa feita pela AB2L, em julho, revela que as soluções mais procuradas não necessariamente são as com tecnologias mais disruptivas, entre elas monitoramento legislativo e clipping de notícias:

Gráfico revela as principais demandas do mercado jurídico

Com essa necessidade represada de ambos os lados, o foco da associação no momento é atrair cada vez mais lawtechs e mapear o setor: “Estamos fazendo um radar com empresas com soluções diferenciadas: ramo de documento, marketplace, processo online (resolução de conflito de forma amigável), inteligência artificial (para adivinhar decisões), renovação de sistemas de gestão de contratos, etc”, afirma Feigelson.

Participe do LawTech Conference e saiba como as startups estão transformando o universo jurídico no Brasil e no mundo!

Fonte: Portal StarSe
Autor: Isabela Borrelli

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
_113967234_hi031081850

Em resposta ao ChatGPT, Google planeja lançar 20 projetos de inteligência artificial em 2023

A empresa queria ir devagar, mas a ameaça externa da OpenAI acelerou o planos
Captura de tela 2023-01-27 094937

Cinco tendências de tech e ESG apresentadas em Davos

Diversidade e inclusão foram alguns dos principais destaques do relatório sobre o cenário atual do mercado global de tecnologia, lançado durante o Fórum Econômico Mundial
Captura de tela 2023-01-27 094517

“Não há falta de dinheiro para startups”, diz cofundador da Liga Ventures

Guilherme Massa explica que os desafios têm relação com um tempo maior de decisão dos investidores baseado no momento econômico e na busca por retorno
Face recognition AR hologram screen  smart technology

O chat GPT: o que o novo oráculo de delfos tem a dizer aos advogados?

O grande diferencial da ferramenta, como toda ferramenta tecnológica inovadora, será no modo como é utilizada para extrair os benefícios da mesma.
EMPRESAS ALIADAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.