AB2L reúne setor jurídico tecnológico em primeiro evento presencial em São Paulo

AB2L Lawtech Experience contou com 65 estandes, 2500 inscritos e a presença do ministro do STF Luiz Fux
Publicado em
photo-4931526649959262948-y

Por Gazeta de São Paulo

A Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs (AB2L), promoveu na última terça-feira (29), no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo, a primeira edição presencial do AB2L Lawtech Experience, que reuniu 2.500 inscritos com nomes relevantes do setor jurídico e tecnológico.A feira contou com palestras, workshops, exposições e 65 estandes entre as 300 Lawtechs associadas. 

No evento, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux marcou presença, e falou sobre a influência das novas tecnologias nos tribunais. Ele citou a música Daddy’s Car, composta por uma inteligência artificial da gravadora musical Sony a partir de obras dos Beatles. “Quem é o autor da música? Não se sabe, a inteligência artificial juntou e fez uma bela música. Claro que isso vai gerar problemas jurídicos. Quem é que vai receber os direitos autorais?”, indagou o ministro.

Fux também ressaltou a importância das novas tecnologias. “Nós vivemos em um país em que o ser humano é o centro da realidade do direito, tanto que a constituição federal tem como fundamento a dignidade da pessoa humana. A via digital hoje permite que o cidadão carente tenha mais acesso à justiça do que tinha anteriormente, pois não precisa de deslocamento para espaços físicos. Com um clique ele já resolve o problema dele.”, exalta.

Palestras

Antes do ministro do STF, Daniel Marques, advogado, filósofo e presidente da AB2L, abriu o ciclo de palestras falou sobre a inovação no direito que chega para suprir as demandas impostas pelas transformações.

“As Lawtechs e Legaltechs surgem como uma maneira de ajudar os advogados a exercerem melhor a profissão. Mas muito mais importante do que nós, advogados, são as pessoas para quem nós prestamos serviços. É impossível em uma sociedade hiper conectada o advogado não usar ferramentas de tecnologia para oferecer os melhores serviços. O direito não é para servir o advogado, mas a sociedade.”. 

O advogado especialista em propriedade intelectual, Marcelo Mazzola, revelou que as novas tecnologias obrigam os advogados a sempre estarem atualizados. “Recebi de um cliente uma ligação dizendo que o cavalo dele foi atropelado no metaverso e ele queria entrar com uma ação indenizatória”, disse. Ele também elogiou o uso de robôs dentro dos tribunais, que acabam acelerando o trabalho.

As universidades também precisam estar adaptadas a esse meio para formar profissionais já capacitados, explica Ricardo de Abreu, professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie. “Temos estudado trabalhar com inovação, tecnologia, uma nova formação em direito pensando em empreendedorismo. Eu acredito que para além das propriedades técnico profissionais, nós precisamos pensar na interdisciplinaridade e também em competências sócio emocionais, que são necessários para este novo profissional do direito, nesse novo cenário que está se desenhando com a influência desse novo ambiente tecnológico”.

Outra palestrante presente no AB2L Lawtech Experience, Celina Botinno, Diretora do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro (ITS Rio), falou sobre a importância da abertura e interoperabilidade dos dados para a inteligência jurídica, e elogiou a oportunidade da troca de conhecimentos entre nomes relevantes do setor. “Acredito que todas as experiências que estamos tendo aqui vai contribuir para que o ecossistema siga aberto e vai fomentar todas essas soluções que a tecnologia tem nos dado”.

Para Bruno Bioni, diretor-fundador do Data Privacy Brasil, o evento foi capaz de reunir profissionais inovadores e o network foi muito positivo. Ele palestrou sobre dados abertos, transparência e inteligência artificial. “Toda a ideia de abertura de dados é instrumental para pensar na informação em estágio bruto enquanto bem comum, bem coletivo, para ele poder gerar uma inteligência que seja coletiva e a partir disso a gente possa pensar em inovação.”, disse Bioni.

Também presente no AB2L Lawtech Experience, o diretor do ITS Rio, Ronaldo Lemos, disse que ficou impressionado com o tamanho do evento.

Presenças internacionais

O evento também contou ainda com as presenças internacionais de Mary O’Carroll, diretora de comunidade da Ironclad e ex-Legal Operations do Google e de Jennifer McCarron, diretora de Legal Operations e tecnologia na Netflix. 

Encerramento

Antes do encerramento, a AB2L entregou o Certificado AB2L de Departamento Jurídico 4.0, selo que premiou 41 departamentos jurídicos que estão fazendo diferença no setor da inovação dentro do direito.

“O departamento jurídico do futuro não é mais visto como um patinho feio da empresa, um centro de custos ou departamento do não, mas é um centro de negócios, que gera pontes e viabiliza as iniciativas dos outros setores. Para receber o certificado o Departamento Jurídico deve cumprir critérios objetivos que os ajudarão a inovarem e antecipar o futuro”, disse Daniel Marques, parabenizando as empresas ganhadoras do prêmio.

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
DEPJUR MARY

Reunião de Departamentos Jurídicos AB2L

Publicação original Paulo Samico Gestão de Contratos: como usar o apoio da Inteligência Artificial e da automação em
lady-justice-2388500_1280

Conselho Federal autoriza a criação de “Selo Nacional de Desjudicialização”

Publicação original OAB Nacional Por unanimidade, o Conselho Federal da OAB aprovou a criação do “Selo Nacional de
Imagem: Forbes

Ser CEO ou mãe? Ela criou uma comunidade para ter os dois!

Texto original publicado por Forbes Em oito anos, a B2Mamy trouxe renda de R$ 27 milhões para as
Imagem: Pixabay

AB2L E TRABALHO REGULATÓRIO | PL FAKE NEWS

Caros associados, Vocês devem estar acompanhando a polêmica lei das fake news, como é chamada. Nela é contemplada
EMPRESAS ALIADAS

Receba nossa Newsletter

Nossas novidades direto em sua caixa de entrada.