Games, segurança digital e analista UX. Veja carreiras que vão bombar em 2022

Imagem: Pixabay

“O mercado de trabalho vai mudar da água para o vinho. As inovações vão produzir a necessidade de novas carreiras e transformações nas já existentes e irão demandar capacidades e habilidades específicas, que antes eram negligenciadas”, afirma em nota o superintendente do CIEE/Rio, Paulo Pimenta. Depois de uma leva de demissões trazida pela crise da pandemia, os recrutadores e profissionais de RH deverão estar entre os primeiros a serem buscados no mercado de trabalho, justamente para conduzir a reconstrução do quadro de funcionários das empresas. Pelo levantamento, saem na frente os de perfil mais “generalistas e de olho nas novas tecnologias da área”.

Engenheiros digitais, que levantam, cuidam e monitoram os dados de empresas também estarão entre os profissionais cobiçados para 2022. Ainda na área de tecnologia, chegou a vez dos desenvolvedores de games brilharem, com uma indústria que só ganhou espaço nesse momento de isolamento social. Para estas vagas, é necessário conhecimento de programação em tecnologias como: JAVA, C++, Unity e Kotlin e outros.

Já em grande demanda, os especialistas em segurança digital e infraestrutura devem continuar bombando, principalmente com a adoção de home office ou modelos híbridos que exigem cuidados na proteção digital e de dados das empresas. O crescimento do e-commerce e do uso de aplicativos faz com que aumente a procura por analistas UX, que são profissionais responsável por estudar, planejar e desenvolver sites e aplicativos e cuidar da experiência do usuário dentro dessas plataformas. Para essas vagas, normalmente há exigência de bom nível de inglês.

Uma novidade na lista são para a profissão de mediador de conflito. De acordo com a advogada e mediadora, fundadora da Câmara Equilibre de Gestão de Conflitos, Ana Esteves Kaiuca, a covid-19 aumentou o número de desentendimentos e, assim, para que menos casos cheguem na Justiça e sejam resolvidos com acordos, mais profissionais do gênero devem ser demandados em todas as áreas. “O mediador é responsável por ajudar as pessoas a chegar a acordos e evitar que casos cheguem à Justiça. Para ser um profissional do ramo, não é necessário ser da área do Direito. Estudantes e profissionais de qualquer formação podem desempenhar a função, mas é necessário fazer um curso específico e um estágio de 6 meses . A profissão pode ser uma opção para quem quer entrar no mercado e mudar de área”, informa o CIEE.

Outro destaque é para a figura do consultor de carreiras via Skype, que são profissionais que preparam as pessoas para entrevistas por videoconferência. Por fim e não menos importante, uma profissão mais clássica, a de analista contábil também estará em alta.

Texto original de Isabel Filgueiras, publicado pela Valor Investe

Comentários

Comentários